Por Direito de Ouvir

02 de outubro de 2014

Conheça a relação entre o zumbido e ruídos

Zumbido como resultado de exposição a ruído pode ocorrer subita ou gradativamente

02 de outubro de 2014


Embora se desconheça a causa exata de zumbido, muitos pacientes com histórico de exposição a ruído apresentam zumbido. O barulho está muito longe de ser a causa mais provável do zumbido, e este pode ou não ocorrer juntamente com a perda auditiva.

A maior parte dos pacientes que apresentam zumbido também tem problemas auditivos, mas uma pequena porcentagem (menos de 10%) tem audição dentro dos limites da normalidade. Uma vez que muitos pacientes apresentam perdas auditivas sem zumbido, não é surpreendente que algumas pessoas com zumbido não tenham deficiência auditiva.

Por que o zumbido acontece?

O zumbido acontece quando o cérebro passa a receber sinais sonoros sem que o ouvido capte sinais sonoros. Além dos problemas auditivos, este sintoma pode estar relacionado a mais de 200 tipos de problemas. Os mais comuns são alterações no metabolismonos hormôniosdoenças neurológicaspsiquiátricas, odontológicas ou musculares - que afetem principalmente a região da cabeça e do pescoço. Entenda porque ele é considerado um sintoma e não uma doença aqui.

Principais sintomas do zumbido

É razoável assumir que qualquer um dos cinco sintomas associados com patologias do ouvido - perda auditiva, zumbido, tontura, dor ou sensação de ouvido cheio - possa ocorrer isolada ou com a ausência de outros sintomas. Ele pode ser associado a diversos tipos de barulhos: chiado, cigarra, abelha, panela de pressão, cachoeira, motor e sirene, por exemplo.

Exposição ao ruído e o zumbido

Zumbido como resultado de exposição a ruído pode ocorrer subitamente ou muito gradativamente. Quando ocorre subitamente, é percebido devido a uma intensidade razoavelmente alta e pode persistir nesse nível. Entretanto, para outros, o zumbido é temporário e não retorna mais.

É mais comum, o aparecimento do zumbido induzido por ruído é gradual e intermitente em seus estágios precoces. Os pacientes relatam escutar um padrão médio de zumbido por um curto período de tempo após uma exposição prolongada a sons intensos. Uma vez que o paciente deixa de escutar a fonte do ruído, o zumbido desaparece rapidamente e se torna inaudível até a próxima exposição.

Este padrão intermitente continua com frequência por meses ou anos com períodos de zumbido se tornando cada vez mais longos. Se a exposição ao barulho continua, o zumbido aumenta de volume e torna-se constante.
A maioria dos pacientes que tem uma longa história de exposição a ruído, refere um zumbido que é tonal em qualidade e de alta frequência, que se assemelha aos tons externos acima de 3000 Hz.

Dicas para se prevenir

O que você pode fazer para evitar que a exposição prolongada a ruídos provoque tinido ou outros problemas auditivos:

  • Afastar-se de barulho;
  • Usar protetor auditivo individual quando o barulho não puder ser evitado;
  • Reduzir o tempo de exposição ao barulho;
  • Reduzir o barulho em sua origem.

Como deve ser o tratamento

Se você já está com o zumbido, o ideal é procurar a ajuda de um otorrinolaringologista. Este especialista poderá determinar se realmente o sintoma está relacionado com problemas auditivos ou se uma equipe multidisciplinar deverá fazer uma investigação sobre suas causas. Saiba mais sobre tratamento para zumbido.


Marcadores
Zumbido Artigos
Nós usamos seus dados para analisar e personalizar nossos anúncios e serviços durante sua navegação em nossa plataforma. Ao continuar navegando pelo site Direito de Ouvir você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las