Causas do Zumbido no Ouvido

A manifestação de chiados no aparelho auditivo pode apresentar sinais de riscos à audição


Compartilhar

O que caracteriza um zumbido no ouvido?

Ruídos sonoros persistentes dentro do canal auditivo podem ser percebidos devido à falta de percepção de sons ao redor. O chiado persistente pode começar sem nenhum motivo aparente, porém, podem ter o seu diagnóstico de acordo com o laudo de especialistas da área. Apesar de não ser apresentado como uma patologia, essa condição pode significar algumas alterações presentes no aparelho auditivo.


Atrelado à problemas externos como tonturas, perda auditiva a curto ou longo prazo e a austeridade de sons exteriores, essa condição tende a afetar a rotina de quem sofre e dificultar o acesso completo de ruídos e percepções ao nosso redor.

Especialistas e estudantes da área da fonoaudiologia, realizaram uma pesquisa juntamente com a Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (APIDIZ), onde foi constatado que uma média de 40 milhões da população brasileira sofre ou já sofreu de zumbido no ouvido. Esse número representa mais de 18% de pessoas em todo o país.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Causas

Alguns aspectos externos podem ter influências no que diz respeito à chiados incomuns no ouvido, esses podem estar ou não atrelados a problemas originados no próprio canal auditivo ou ocorrências exteriores. Veja a seguir algumas causas e variações do ruído no ouvido:

• Privação da audição relacionada a idade do indivíduo;

• Longos períodos expostos a barulhos com altas frequências sonoras;

• Acúmulo de cerume dentro do aparelho auditivo;

• Algumas modificações dos ossículos do canal da audição;

• Ter um diagnóstico da patologia de Ménière;

• Ter um diagnóstico de Neurinoma do acústico, caracterizado como um tumor de origem rara que acomete nervos do sistema auditivo.

Como mencionado no início do artigo, as condições que acarretam em chiados incômodos no ouvido podem ou não ter causas originadas de patologias. Nesse caso, veja alguns exemplos de doenças que ajudam na crescente ativação desses ruídos:

• Disfunções das junções têmpora mandibular e causas externas odontológicas;

• Modificação metabólicas que são configuradas como o uso de açúcares em excesso, exorbitância de gorduras no organismo e escassez de vitaminas;

• Variações hormonais como a parte da tireoide e alguns hormônios sexuais;

• Enfermidades cardiovasculares: aumento da pressão sanguínea e batimentos cardíacos acelerados;

• Afecções relacionadas à transtornos psicológicos como ansiedade e depressão;

• Algumas deformações de vasos na cabeça e pescoço também contribuem para uma possível falha auditiva.

Além das questões patológicas citadas, alguns hábitos diários também podem contribuir para o surgimento de alterações no canal auditivo:

• A má administração de alimentos também podem ser uma grande aliada ao surgimento de deformidades no ouvido. O consumo excessivo de comidas gordurosas e com alto teor de açúcar acarretam nos possíveis chiados.

• Consumo excessivo de cafeína e períodos longos de jejum;

• O alcoolismo e tabagismo configuram problemas no labirinto do canal auditivo, alterando a percepção dos sons ao seu redor, além de acarretar em perdas permanentes do sistema auditivo.

• A má administração de medicamentos como diuréticos, antidepressivos e até antibióticos podem contribuir para o surgimento dos incômodos zumbidos no ouvido.

Em busca de tratamento

Apesar das diversas causas que podem acarretar em problemas na audição, em sua maioria os casos podem não ser graves e com chances de tratamento e melhoras a curto prazo. Entretanto, não é recomendado ignorar ou deixar para lá sintomas como os ruídos persistentes, sendo necessário ressaltar a importância de uma consulta direta com especialistas da área.

Um tratamento adequado pode identificar possíveis tumores e patologias que antes não poderiam ser percebidas sem o devido mapeamento do canal auditivo. A investigação de alterações nesse sistema, fará diferença na hora de constatar o que deve e o que não deve ser feito para a uma melhora permanente do problema.

Caso os ruídos sejam agudos e começarem a limitar o acesso à uma vida normal, a ajuda médica não pode ser dispensada. O tratamento adequado pode extinguir completamente possíveis problemas futuros.

Visita a um profissional

Algumas pessoas apresentam os sintomas, mas poucas tem acesso a qual especialista visitar caso haja um incômodo excessivo diário. Veja abaixo a lista de alguns especialistas que estão aptos a diagnosticar alterações e falhas auditivas:

• Uma clínica médica especializada pode orientar em procedimentos médicos e encaminhar os diagnósticos ao paciente;

• Profissionais da área de Otorrinolaringologia;

• Neurologistas também podem fazer um mapeamento concreto de possíveis problemas do canal auditivo;

• Especialistas formados na área de Endocrinologia;

• Devido à problemas relacionados à ossículos do sistema do ouvido, profissionais da Ortopedia também podem dar um laudo médico sobre a patologia;

• E por fim, especialistas em Reumatologia, devido à carga de eventos traumatológicos que ruídos e exposição a barulhos intensos podem trazer a nossa saúde.

Outro grande alicerce para a ajuda de um diagnóstico completo e bem-sucedido, é separar em partes quais os sintomas sentidos pela pessoa para que assim haja um laudo mais eficiente, poupando tempo que poderia resultar em uma piora do quadro.

• Coloque em uma escala quais foram os primeiros sintomas sentidos pelo paciente, e há quanto tempo esse problema persiste;

• Caso haja avaliações externas anteriores que foram diagnosticadas por médicos, também ajudam a enumerar de maneira mais prática o laudo médico;

• A presença de amigos ou familiares durante a consulta também podem ajudar para que uma avaliação mais detalhada e precisa possa ser repassada para o especialista.

Esteja preparado para o questionamento que provavelmente será realizado pelo profissional da área e atente-se em responder de maneira sincera cada pergunta. Veja abaixo uma série de questionamentos a serem respondidos quando dialogados com o especialista:

• De maneira exata, como você caracteriza o zumbido no ouvido?

• Há uma pressão dentro do canal auditivo?

• O ruído é presente apenas em um ou nos dois ouvidos?

• Há quanto tempo apresenta esses sintomas?

• O zumbido em si chega a atrapalhar atividades que antes eram feitas de maneira normal?

Esteja atento

Ainda que problemas auditivos sejam comuns em milhares de pessoas em todo o mundo, ignorar alguma condição que esteja incomodando pode acarretar em severas patologias futuras. Especialistas da Direito de Ouvir estão dispostos todos os dias para ajudar no que for preciso e colaborar nos melhores tratamentos para uma qualidade de vida melhor e livre de incômodos.