Cuidados com a saúde auditiva

Conhecer os sintomas da perda auditiva pode preservar a saúde do sistema auditivo


Compartilhar

Em vez de ler, que tal ouvir o post? Experimente no player abaixo.

O que significa ter uma boa saúde auditiva?

Apesar da audição ser um dos sentidos mais importantes para os seres humanos, a perda auditiva é uma das deficiências mais comuns no mundo todo, é o que diz a OMS (Organização Mundial de Saúde). Quando analisamos esses dados de uma forma mais detalhada, vemos que no Brasil aproximadamente 15 milhões de pessoas sofrem com algum tipo de deficiência auditiva ou problemas de saúde no ouvido.


Com esses dados alarmantes, surge a pergunta: o que significa ter uma boa saúde auditiva, então? Quando vamos ao médico, geralmente o motivo é uma coisa muito séria, como problemas de coração, visão, cabeça ou doenças crônicas. É muito raro uma consulta médica para checar se a audição está boa ou não.

Geralmente, a média de tempo que as pessoas procuram algum tipo de tratamento para o problema auditivo depois de ter um diagnóstico é de 7 anos, como a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia afirma. O problema é que quanto mais demorado o diagnóstico e o tratamento são feitos, maiores serão os prejuízos para a saúde do ouvido.

Ter uma boa saúde auditiva é incluir o sistema auditivo na lista de preocupações quando pensamos em procurar um profissional da saúde.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Causas dos problemas auditivos

A perda auditiva surge de duas causas principais: fatores genéticos ou exposição à barulhos altos constantes. Claro que há outros fatores envolvidos no problema, mas esses dois são os mais comuns, especialmente a exposição à ruídos. A Sociedade Brasileira de Otologia diz que 35% dos casos de perda da audição vêm da exposição à sons constantes, na maioria das vezes diária.

Mas a perda da audição também pode acontecer de outras formas:

• O uso de alguns medicamentos antibióticos pode levar à perda de audição. Em alguns casos, o medicamento tem um efeito tóxico para o sistema auditivo. No caso do uso de aspirina, pode acontecer uma perda auditiva temporária que geralmente some com a interrupção do uso.

• Algumas infecções podem engatilhar uma perda de audição, como a meningite, caxumba e sarampo. Nesses casos, o que causa o problema pode ser a febre ou o próprio organismo que provocou a infecção. Em algumas situações onde uma gestante esteja com infecções como a sífilis ou a rubéola, o bebê pode nascer com problemas tais como a surdez.

• Hereditariedade tem um papel muito importante na causa de uma perda auditiva. Se algum dos pais tiver uma surdez com uma causa não diagnosticada, as chances do bebê nascer com a mesma deficiência aumentam.

• O acúmulo de cera de ouvido pode causar uma perda temporária da audição. Nessas situações, o uso das famosas hastes flexíveis não é recomendado, podendo agravar o problema temporário; é recomendado uma limpeza feita por profissionais.

• E claro, a idade também desempenha um papel crucial na perda auditiva. Conforme a idade do indivíduo avança, o sistema auditivo não funciona mais tão bem como antes, devido à debilitação das células do canal auditivo.

Como prevenir a perda auditiva?

No mundo em que vivemos nos dias de hoje, estamos cada vez mais expostos à ruídos e barulhos constantes, seja através das buzinas e trânsito nas grandes cidades, obras e construções, propagandas em carros de som ou até mesmo os barulhos de conversas em grandes aglomerações. Por essa razão, é importante cuidar da saúde dos ouvidos e prevenir a perda da audição.

É claro que estaremos expostos à esses barulhos querendo ou não, mas há algumas maneiras de suavizar os danos causados por toda essa exposição, como as listadas a seguir:

• Controlar os sons mais comuns que ouvimos no dia a dia, como a televisão, música no celular ou em outros aparelhos de som. O segredo é não deixar nossos ouvidos chegarem ao ponto de se acostumarem com os sons muito altos.

• Quando praticar o uso de fones de ouvido, deixe o volume em um ponto onde ainda é possível ouvir sons externos, como a voz de outras pessoas. Em casa, tente não fazer muito o uso desses dispositivos.

• Em ambientes como shows ou festas, não fique perto das caixas de som e tente descansar seus ouvidos em um ambiente silencioso após ser exposto a esses sons estridentes.

• Uso consciente de medicamentos que podem levar à perda da audição, como antibióticos, anti-inflamatórios ou até mesmo a aparente inofensiva aspirina. Atente-se à doenças de ouvido, não deixe uma infecção, por exemplo, chegar a um ponto onde coloca sua audição em perigo. Ao sinal de qualquer sintoma dessas doenças, procure um profissional da saúde.

• A limpeza correta dos ouvidos é uma ótima forma de prevenir a perda auditiva. O processo com as hastes flexíveis deve ser feito apenas na parte externa dos ouvidos, nunca coloque esses produtos dentro do seu ouvido.

• O uso de protetores de ouvido se a pessoa é exposta à muitos barulhos no trabalho, como acontece em construções, é muito importante para a preservação de uma boa audição.

• Se houver casos de perda auditiva na família (pai ou mãe), é recomendado procurar um profissional da saúde para checar se está tudo bem com o seu ouvido. A perda de audição pode ser genética.

Além disso, maus hábitos que possam colocar a sua saúde auditiva em risco devem ser evitados ou feitos com moderação. A deterioração da audição pode acontecer através dos anos. Cuide do seu ouvido hoje para não haver problemas no futuro, já que na terceira idade esses hábitos podem acarretar em consequências sérias.

Preste atenção aos sinais

Sabemos que os problemas auditivos são muito comuns atualmente, mas ainda há maneiras de preveni-los. Prestar atenção aos sinais é uma das maneiras mais efetivas de fazer isso. Quanto mais cedo um diagnóstico é feito, mais rápido e provável a recuperação acontece. Fique atento a qualquer incômodo que surgir e não hesite em procurar ajuda profissional. Os especialistas da Direito de Ouvir, por exemplo, estão sempre dispostos a ajudar esses casos e colaborar em tratamentos para garantir uma boa saúde auditiva para todos.