Hastes flexíveis oferecem riscos à audição

Produtos oferecem riscos enormes à saúde auditiva, veja

Vendidos como produtos para limpeza dos ouvidos, as hastes flexíveis com pontas de algodão, comumente conhecidas como cotonetes, não são indicadas para essa função. Você sabe o porquê? Veja abaixo.

Inúmeros otorrinolaringologistas já avisam: não é recomendado utilizar cotonetes na hora de limpar os ouvidos. Isso ocorre porque esses produtos acabam por remover por completo a cera presente no canal auditivo, o que não é recomendado, já que ela que serve como proteção natural dos ouvidos.

Além disso, as hastes flexíveis também podem causar traumas nas estruturas internas do ouvido. O ideal é utilizar apenas uma toalha macia para efetuar a limpeza das orelhas.

Atualmente, é obrigatório realizar o Teste da Orelhinha logo nos primeiros meses de vida dos recém-nascidos para avaliar a saúde auditiva dos bebês. A Associação Brasileira de Otologia recomenda que os pais levem as crianças pequenas anualmente ao médico para realizar exames de audição.

O acompanhamento periódico é necessário para prevenir doenças e tratar aquelas que aparecerem com rapidez e eficiência. Afinal de contas, as crianças pequenas são as vítimas mais frequentes de otites.

Quanto à higienização das orelhas dos pequenos, é preciso que seja feita mediante orientação de um pediatra responsável. Mas é aconselhável que os pais façam a higienização da orelha externa através de movimentos delicados e usem apenas com água e sabonete. Para secar, uma toalha macia basta. Essa limpeza é necessária para impedir a formação de rolhas de cera no ouvido das crianças.

Riscos


É comum, principalmente entre os mais idosos, a utilização de cotonetes, tampas de caneta, lápis, grampos, ramonas e outros tantos objetos para aliviar aquela coceira incômoda no ouvido, ou simplesmente para limpá-lo.

Contudo, esses objetos oferecem riscos enormes à saúde auditiva. Por conta do formato e material que os constituem, esses objetos podem causar entupimento do canal auditivo (ao empurrarem a cera para dentro do mesmo), otites e, em casos mais graves, a perfuração da membrana timpânica, que é muito fina e pode ser rompida com facilidade.

As consequências negativas da falta de cautela ao limpar o ouvido, muitas vezes, só podem ser revertidas com a ajuda de um profissional e, em alguns casos, mediante procedimentos cirúrgicos.

O ideal é fazer a limpeza somente na região externa da orelha sempre após o banho e com muito cuidado. Para realizar limpezas mais profundas é preciso procurar um otorrinolaringologista. Além disso, em casos de pessoas que possuem pele mais sensível que facilita a descamação (dermatite ou psoríase) no canal auditivo é aconselhável que façam periodicamente a limpeza auditiva com um profissional.