Gabriela Bandoni
Por Gabriela Bandoni
Fono Especialista

05 de março de 2015


0 compartilhamentos
Nenhum comentário

Conheça os principais Exames Auditivos

Exames Auditivos são realizados para descobrir se o paciente possui Perda Auditiva


Compartilhar

Os Exames Auditivos não fundamentais para detectar a capacidade do paciente de ouvir os sons | Direito de Ouvir

Todos os dias cada pessoa passa por inúmeras experiências sonoras, desde o momento quando acorda até o momento em que vai dormir. O barulho do trânsito, do telefone tocando, do teclado do computador, dos seus colegas de trabalho, das crianças quando chegam da escola, essas e todas as outras situações vividas diariamente são captadas pelos ouvidos e traduzidas para o nosso cérebro. Quando houver dificuldades de ouvir a televisão, ouvir e conversar ao telefone ou com o grupo de colegas do trabalho, existe a possibilidade de perda auditiva. Atualmente para os problemas relacionados com a perda de audição existem diversos exames auditivos capazes de proporcionar ao paciente diagnósticos precisos e eficientes.


Os exames auditivos podem ser feitos de duas formas, a primeira delas é com a participação e colaboração do paciente com auxílio do examinador. Exames assim, dependem de fatores como: atenção e cognição. Outros exames auditivos são realizados sem a participação ativa do paciente, ou seja, o próprio equipamento utilizado no teste faz a leitura e captação de respostas referentes à função auditiva.

Dentre os exames auditivos destacam-se: audiometria tonal, vocal, 05/03/2, emissões otoacústicas e potencial evocado auditivo. Veja abaixo a descrição de alguns desses exames:

O que é audiometria?

Audiometria é o exame que detecta a capacidade do paciente de ouvir os sons. Há, basicamente, dois tipos de exame de audiometria:

Audiometria Tonal: avalia as respostas do paciente a sons, emitidos em diversas frequências, detectando assim o grau e o tipo de perda auditiva. É considerado um teste subjetivo porque depende da resposta do examinando aos estímulos auditivos fornecidos pelo examinador. Pode ser feito por via aérea comum ou por via óssea.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Audiometria Vocal: avalia a capacidade de compreensão da fala humana. O paciente demonstrará sua percepção e compreensão da fala humana emitida pelo examinador.

Como é feito o exame auditivo?

O paciente entra em uma cabine isolada acusticamente. Por uma janela de vidro, ele vê e é visto pelo fonoaudiólogo. Pelo fone de ouvido, ele recebe estímulos sonoros e precisa sinalizá-los para o especialista. De acordo com as respostas, é feito o diagnóstico de perda auditiva:

abaixo de 25 decibéis - considerada normal;
26 a 40 decibéis - perda auditiva leve;
41 a 55 decibéis - perda auditiva moderada;
56 a 70 decibéis - perda auditiva moderadamente severa;
71 a 90 decibéis - perda severa;
Acima de 90 decibéis - perda profunda.

Saiba mais sobre audiometria

O que é imitanciometria?

É um exame rápido, indolor e que objetiva avaliar as condições da orelha média com o fornecimento de informações a respeito do funcionamento do tímpano e dos ossículos presentes nessa região. O exame é feito através de um pequeno fone inserido superficialmente no canal auditivo.

Também chamado de impedanciometria, este exame tem por finalidade avaliar o funcionamento das estruturas (membrana timpânica, ossículos, etc) da orelha média e da tuba auditiva. Pode ser divido em três etapas: timpanometria, compliância e pesquisa do reflexo estapédico. Ele é recomendado para confirmar a coerência com a audiometria tonal, controle de tratamento da otite média (orelha com presença de secreção) e como exames de rotina no pré e pós-cirúrgico da orelha média.  Confira mais informações sobre este exame auditivo aqui.