Audição humana: curiosidades que você não sabia!

Os ouvidos são umas das estruturas mais surpreendentes do corpo humano!


Compartilhar

Mesmo sem perceber você utiliza sua audição o tempo todo. Seja para ouvir música, assistir a um vídeo no celular, se comunicar com outras pessoas ou até mesmo para manter o equilíbrio (sim, essa é uma função dos ouvidos que poucas pessoas conhecem e falaremos sobre ela mais adiante).

É por isso que os ouvidos garantem uma experiência única de experimentar o mundo ao nosso redor. Eles afetam a maneira como aprendemos, nos comunicamos e até nos mantém alerta em situações de risco.


Mas, será que você sabe como funciona a audição humana? Como os ouvidos ajudam a ouvir os sons ao seu redor? A lista a seguir apresenta algumas curiosidades surpreendentes sobre a audição humana. É bem provável que você nem tenha imaginado algumas delas!

Quem “ouve” é o cérebro

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Você sabia que é o cérebro quem “ouve” os sons? Essa é uma curiosidade sobre o funcionamento da audição humana que muita gente ainda não sabe.

Na prática, isso significa que o ouvido apenas capta os sons e depois os envia para o cérebro que, por sua vez, é responsável por interpretar e entender o que cada som significa.

O ouvido nunca para de trabalhar

Nossos ouvidos nunca têm folga! Isso significa que mesmo enquanto você dorme, os ouvidos continuam captando os sons do ambiente. Porém, o cérebro bloqueia os sons para que você possa dormir tranquilamente e só acorde apenas se ouvir um barulho muito alto.

Estrutura do ouvido

A estrutura dos ouvidos é surpreendente e cheia de curiosidades. Para começar, é nos ouvidos que estão os menores ossos do corpo humano: bigorna, martelo e estribo. Juntos, os três ossículos ajudam a transmitir as vibrações sonoras ao cérebro. Além disso, quebrar algum desses ossos pode causar perda auditiva condutiva.

Outra curiosidade é que o ouvido interno é minúsculo, equivalente a uma borracha de lápis. A cóclea, que é a parte mais interna da orelha, tem o formato semelhante à uma concha de caracol e, se fosse desenrolada, formaria um tipo de mini-tubo com 31,5mm de comprimento.

É na cóclea que estão as células ciliadas, parecidas com pelos minúsculos e que são responsáveis pelo senso auditivo. Existem cerca de 20.000 células ciliadas em nosso ouvido e, se algumas forem danificadas, nunca poderão ser recuperadas. Esses danos nas células podem resultar em perda auditiva neurossensorial.

Ouvidos autolimpantes

Não é necessário usar cotonetes outros objetos para limpar os ouvidos, já que eles são autolimpantes. Isso acontece porque os poros do canal auditivo produzem o cerume (também conhecido como cera), que é uma combinação de óleo, suor e células mortas. Embora muitas pessoas pensem que a cera é algo sujo, ela serve para proteger a orelha contra poeira ou outros detritos e impedir que eles entrem no ouvido interno.

Os pelos minúsculos são responsáveis por empurrar a cera para fora do canal auditivo automaticamente. Portanto, a menos que você produza uma quantidade excessiva, não é necessário remover a cera. Deixe que seu organismo faça isso por você!

Ouvidos e equilíbrio

Sabia que os ouvidos ajudam o corpo a manter o equilíbrio? Isso acontece porque há um fluido no ouvido interno que se movimenta e informa ao cérebro onde seu corpo está em relação ao solo e o que ele deve fazer para se equilibrar.

Portanto, uma doença que afeta a audição também pode ter impacto no equilíbrio. É fácil exemplificar como isso acontece na prática. Se você teve alguma infecção no ouvido já deve ter sentido uma vertigem. Esse tipo de tontura é um efeito colateral comum após uma infecção no ouvido interno.

As orelhas não param de crescer

A pele do canal auditivo nunca para de crescer, independentemente de fatores genéticos. Para você ter uma noção, a pele cresce aproximadamente 3cm a cada ano. Se não acontecesse a troca de pele, você teria cerca de 60cm de pele saindo da orelha aos 20 anos de idade.

Alta pressão

Viajar de avião, escalar uma montanha ou até mesmo um resfriado são situações comuns em que sentimos nossos ouvidos estranhos. Isso ocorre por causa da mudança de pressão na atmosfera que causa uma falha na trompa de Eustáquio, a responsável por equilibrar a pressão corporal e atmosférica. O resultado é uma sensação desconforto, dor no ouvido, tontura etc.

Capacidade auditiva

Os seres humanos podem ouvir praticamente todos os sons, desde as frequências mais baixas como 20 Hertz (Hz) até 20.000Hz. Isso significa que conseguimos ouvir desde o barulho de um pernilongo até a turbina de um avião em movimento.

Mas é importante saber que as orelhas têm limites. Assim, quando um som excede uma determinada frequência, ele é entendido apenas como um zumbido ou estouro em nossos ouvidos.

Fones de ouvidos são vilões da audição

Eles já fazem parte da nossa rotina: no ônibus, enquanto estamos na fila do banco, no avião ou na academia, lá estamos nós com os fones de ouvido. Porém, esses dispositivos podem ser grandes vilões da audição. Clique aqui para saber mais sobre eles!

Primeiramente, o volume do som no fone do ouvido pode causar danos irreversíveis em nossa audição. O prejuízo é tanto que a principal causa da perda auditiva é a exposição a sons excessivamente altos (acima de 85 dB).

Além disso, apenas o fato de usar os fones de ouvido por uma hora aumenta o número de bactérias no ouvido em 700 vezes, podendo causar infecções.

Então, na próxima vez em que for usar os fones, pense bem nos danos que o dispositivo pode causar em seus ouvidos.

O que você achou das curiosidades sobre a audição humana? Realmente, o ouvido é uma estrutura complexa e capaz de realizar coisas extraordinárias! Por isso, é essencial ter cuidados com os ouvidos para manter a audição funcionando perfeitamente.

Mas, se você estiver com dificuldade para ouvir alguns sons ou com qualquer incômodo na região, entre contato com um profissional de saúde auditiva para avaliar sua situação. Na maioria dos casos, o diagnóstico precoce pode ajudar a manter uma boa audição por muito mais tempo!