Pais precisam ter cuidado com a audição dos filhos

As pequenas orelhas também precisam de atenção especial


Compartilhar

Muitas pessoas só lembram da saúde auditiva quando surge alguma dor ou algo dá errado. No entanto, é preciso ter cuidados com a audição desde cedo para evitar problemas mais graves no futuro. Vale ressaltar que, quando dizemos “desde cedo”, queremos dizer que os cuidados com a saúde auditiva devem ser feitos desde os primeiros dias de vida.

Qualquer pessoa está vulnerável aos problemas auditivos, inclusive bebês e crianças. Mas será que você sabe como cuidar adequadamente dos ouvidos dos seus filhos? Se a resposta for negativa, está na hora de mudar isso.


Nos primeiros anos de vida, a audição é uma parte essencial do desenvolvimento cognitivo, emocional e social das crianças. Até mesmo uma perda auditiva leve ou parcial pode causar problemas de fala, aprendizado ou no comportamento das crianças.

Para evitar consequências mais graves, é papel dos pais tomar os cuidados com a audição dos filhos, seja levando a criança para realizar os testes de rotina ou ficando atento aos sinais de problemas auditivos.

Pensando nisso, reunimos alguns cuidados essenciais com os ouvidos das crianças e o que você pode fazer para manter uma boa saúde auditiva na infância.

Problemas auditivos comuns em crianças

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Existem vários problemas auditivos que afetam as crianças, sendo que alguns são simples de se resolver. Porém, muitos deles podem resultar em perda auditiva temporária ou permanente. É importante que os pais ou outros responsáveis saibam reconhecer os sinais de que há algo errado nos ouvidos. Quanto mais cedo você identificar um problema auditivo, melhor será para o seu filho.

A seguir, selecionamos os problemas auditivos mais comuns em crianças e o que fazer para prevenir ou tratá-los.

Excesso de cera

Ao contrário do que muitos pensam, a cera de ouvido (ou cerume) é uma coisa boa e tem a função de proteger as orelhas da poeira e sujeira ou outros elementos estranhos. É importante saber que as orelhas são autolimpantes, ou seja, não precisam de limpeza. Contudo, existem situações em que a cera de ouvido pode se acumular e funcionar como um tampão, causando dor no ouvido e dificuldade para ouvir.

Em casos de acúmulo de cera, é importante que os pais não utilizem cotonetes ou outros objetos para tentar remover a cera. Procurar um otorrinolaringologista ou pediatra é a melhor forma de prevenir e tratar esse problema.

Infecções de ouvido

A infecção no ouvido médio (também chamada de otite média) é muito comum, principalmente em crianças entre 6 meses e 3 anos de idade. O problema ocorre quando um líquido se acumula atrás do tímpano, geralmente após um resfriado. Mas não precisa entrar em pânico se os seus filhos apresentarem uma infecção de ouvido. Na maioria dos casos, a otite média não é uma doença grave e pode ser facilmente tratada com o uso de antibióticos. Entretanto, se não for tratada, a infecção de ouvido pode ter complicações, como perda da audição.

Perda auditiva

Quando não são tratados, os problemas acima podem ter consequências graves, resultando em perda auditiva. Além disso, outras doenças comuns na infância podem comprometer a capacidade auditiva das crianças, incluindo caxumba e meningite.

A perda auditiva em crianças também pode ser congênita, ou seja, desde o nascimento. Nesse caso, a redução da capacidade auditiva pode estar relacionada a distúrbios genéticos ou complicações no parto.

Testes auditivos em crianças

Os testes auditivos fazem parte dos cuidados com a audição de recém-nascidos e crianças. Embora os problemas auditivos graves sejam raros na infância, os exames de rotina ajudam a identificar os problemas logo no início e facilitam o tratamento.

Ao longo da infância, a audição do seu filho poderá ser testada nos seguintes momentos:

• Após o nascimento: a triagem auditiva neonatal, também chamada de teste da orelhinha, geralmente é realizada nos primeiros dias de vida. Esse exame é fundamental para identificar a perda auditiva congênita.

• De 7 meses a 2 anos: com o crescimento da criança, é importante realizar novos testes auditivos para analisar como está o seu desenvolvimento.

• Com cerca de 4 a 5 anos: à medida que ingressam na escola, pode ser necessário realizar outro teste auditivo.

Além das situações acima, a audição do seu filho pode ser verificada a qualquer momento.

Faça um teste auditivo online clicando aqui!

Identificando os sinais de problemas auditivos

Embora os testes auditivos façam parte da rotina das crianças conforme elas crescem, ainda é essencial que os pais fiquem atentos aos sinais de problemas. Muitas vezes, os sintomas não são percebidos apenas na redução da capacidade auditiva, como também no desenvolvimento da linguagem, comportamento e outros aspectos.

Sinais de problemas auditivos em bebês e crianças pequenas

• não reage a ruídos altos em casa, como campainha, toque do telefone etc;

• infecções frequentes nos ouvidos;

• dificuldade para falar ou balbuciar;

• não entende frases simples;

• sente dores no ouvido frequentemente.

Sinais de problemas auditivos em crianças maiores

• começa a falar mais tarde do que o comum;

• é difícil entender o que diz;

• falta de atenção ou problemas de concentração, principalmente em locais barulhentos, como creche ou escola;

• problemas de aprendizado;

• conversa e assiste TV com volume alto.

Tratamentos para problemas auditivos em crianças

Ter uma rotina de cuidados com a audição dos seus filhos é fundamental para a saúde deles. Mesmo assim, qualquer criança está vulnerável aos problemas auditivos, sejam infecções, lesões ou até mesmo perda da audição.

Quando isso acontecer, é fundamental procurar um otorrinolaringologista ou pediatra para buscar o tratamento adequado, que vai depender do tipo de problema. Em muitos casos, os tratamentos auditivos podem incluir:

• antibióticos para otite média;

• remoção do excesso de cera ou objeto estranho;

• implante coclear no caso de perda auditiva grave ou profunda;

• terapia de fala com fonoaudiólogo.

Outra opção de tratamento para crianças com perda auditiva é o uso de aparelhos auditivos para amplificar os sons. Nesse caso, a Direito de Ouvir trabalha com uma linha de aparelhos auditivos desenvolvidos especialmente para crianças de qualquer idade.