Tímpano perfurado tem cura?

Sim, tímpano perfurado tem cura! Conheça os tratamentos para perfuração timpânica

Uma pergunta muito frequente nos consultórios dos otorrinolaringologistas e das fonoaudiólogas é: tímpano perfurado tem cura. Na maioria dos casos, o rompimento da membrana timpânica pode sim ser solucionado, mas antes é preciso entender como aconteceu a perfuração timpânica. 


Como o tímpano foi perfurado?

Os casos mais comuns do que as pessoas popularmente chamam de “tímpano estourado” são causados por:

  • Pressão forte contra a membrana - provocada por um tapa, um beijo no ouvido ou até mesmo alteração na pressão atmosférica (barotrauma)
  • Objetos pontiagudo no ouvido (hastes flexíveis, grampo, palito) ou pela pressão anormal de um jato de água ou ar
  • Infecções no ouvido médio - ou repetidas otites, por exemplo - com acúmulo progressivo de secreção purulenta também pode causar ruptura da membrana timpânica
  • Sons altos ou explosões - Conhecidos como traumas acústicos, eles podem danificar a membrana do tímpano


Quais são os sintomas de tímpano perfurado?

Uma pessoa com o tímpano perfurado sente uma diminuição imediata da audição e uma dor muito incômoda. Sintomas como zumbido e até sangramento pelo canal do ouvido também podem ser observados pelo médico para fazer o diagnóstico da perfuração do tímpano. Além de analisar esses sintomas, o otorrino pode pedir exames, como a audiometria, para ter certeza que a membrana está rompida. 



IMPORTANTE: Com a membrana do tímpano danificada, a parte interna do ouvido fica desprotegida e mais sujeita a infecções. Por isso, se você suspeitar que está com esse problema, busque ajuda médica o mais breve possível


Tímpano perfurado tem cura?

Sim, a perfuração do tímpano tem tratamento e, dependendo da gravidade, pode não deixar sequelas na audição. Buracos pequenos costumam se fechar naturalmente em algumas semanas – nestes casos é importante observar o processo de “cicatrização” e evitar a entrada de água ou outros líquidos indesejados no ouvido. 

Nesse período o médico pode indicar também o uso de alguns medicamentos para evitar infecções como antibióticos – os mais comuns são neomicina ou polimixina com corticoides, amoxicilina, clavulanato e cloranfenicol.

Se o rompimento foi grave, pode ser necessária uma cirurgia para reconstruir o tímpano. Chamada timpanoplastia, essa cirurgia normalmente reconstrói a membrana do tímpano por meio de um enxerto de pele – que pode ser retirado da parte posterior da orelha ou do tragus (pequeno lóbulo cartilaginoso em forma triangular, em frente à orelha). 

Durante a cirurgia, que é feita com anestesia local ou geral (o que vai depender do tipo de lesão, da sensibilidade do paciente e dos métodos cirúrgicos utilizados) e a ajuda de um microscópio otológico, a pele é enxertada para cobrir a perfuração.

Um período de repouso de mais de 15 dias pode ser necessário após a cirurgia já que, nos primeiros dias após a timpanoplastia, o paciente pode sentir tontura e desequilíbrio. 


Risco de perda auditiva

Em muitos casos, a perfuração do tímpano pode se curar sem causar perda auditiva para o paciente. Mas dependendo de onde o rompimento da membrana acontecer, pode ocorrer alguma sequela. 

Os especialistas explicam que o tímpano pode ser dividido em quatro quadrantes e, embora seja mais difícil de ser comprometido, o quadrante postero-superior é o mais perigoso ao ser atingido e pode causar as piores sequelas. 

Saiba mais sobre tímpano perfurado

Agende uma consulta e TESTE GRÁTIS um aparelho auditivo por 7 dias