Por Direito de Ouvir

31 de março de 2019

O que é a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR)

Veja neste artigo as causas e tratamentos que podem levar a esse problema auditivo

31 de março de 2019


O que é e como afeta nossa audição a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR)?

Segundo especialistas da área como fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas, a PAIR surgiu há diversos anos de acordo com momentos históricos de cada época. Um exemplo é a Idade Média, que utilizava de equipamentos com ruídos estrondosos como a pólvora, causando surdez em várias pessoas. Ferroviários e tecelões também sofreram danos no canal auditivo devido a Revolução Industrial.

Todos nós sabemos o que é ruído, certo? Aquele incômodo indesejável de sons que começam a soar totalmente desagradáveis aos nossos ouvidos. Quando falamos de altas intensidades desses barulhos em um espaço de exposição, os danos costumam ser irreversíveis. Esses danos costumam acontecer no espaço da orelha interna, caso uma pessoa se exponha a 85 decibéis de ruídos durante cerca de oito horas todos os dias.

São nessas exposições que costumam acontecer a obtenção da Perda Auditiva Induzida por Ruídos, comumente encontrada em trabalhadores que estão alocados em espaços siderúrgicos, metalúrgicos, ambientes como grandes fábricas também servem de parâmetro. Isso acontece devido ao excesso de barulho diário que esses locais costumam ter.

Outros fatores como passar muito tempo em shows, volume alto nos fones de ouvido, participar de lugares que contenham armas de fogo e principalmente datas comemorativas que fazem uso de fogos de artifício também colaboram gradativamente na perda da saúde auditiva.

Quais são os sintomas da Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR)?

Pessoas que sofrem dessa patologia podem apresentar variados tipos de sintomas, sendo necessário uma consulta com especialistas rapidamente. Veja abaixo uma lista do que essa doença pode causar:

• Dores de cabeça;

• Irritação em lugares muito barulhentos;

• Problemas na digestão de alimentos;

Vertigens;

• Zumbidos constantes no ouvido interno;

• Problemas em decodificar diálogos do dia a dia e em captar sons;

• Perda auditiva temporária ou permanente.

Além dos sintomas, quando um indivíduo é exposto a ruídos de maneira completamente profunda e sem a devida proteção, pode acarretar um trauma acústico, em curto ou longo prazo, danificando diversas partes do ouvido.

Outra danificação a ser destacada é a realizada por exposição a barulhos estrondosos que podem afetar a mudança transitória da limiar, mais conhecida por responder a uma diminuição da acuidade auditiva, mas que pode voltar ao seu estado original, de acordo com o tratamento correto e um período longe de ambientes com altas frequências sonoras.

Foi pensando na rotina diária dos trabalhadores expostos diariamente a barulhos intensos, que o Ministério do Trabalho regulamentou uma norma de número 3.214/1978 para que a atividade rotineira dos operários não causasse problemas nos ouvidos. Veja abaixo a tabela constituída pelo órgão governamental:

Limites de tolerância para ruídos contínuos ou intermitentes, de acordo com a Norma Regulamentadora de número 15:

Nível de Ruído DB (A) e máxima exposição diária permissível, respectivamente:

• 85/8 horas;

• 86/7 horas;

• 87/6 horas;

• 88/5 horas;

• 89/4 horas e 30 minutos;

• 90/4 horas;

• 91/3 horas e 30 minutos;

• 92/3 horas;

• 93/2 horas e 30 minutos;

• 94/2 horas;

• 95/1 hora e 45 minutos;

• 98/1 hora e 30 minutos;

• 100/1 hora; • 102/45 minutos;

• 104/35 minutos;

• 105/30 minutos;

• 106/25 minutos;

• 108/20 minutos;

• 110/15 minutos;

• 112/10 minutos;

• 114/8 minutos;

• 115/7 minutos.

Quais são os possíveis tratamentos para a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR)?

Por ser algo permanente, ainda não pode ser encontrado tratamentos específicos para essa perda auditiva. De início, é completamente recomendado uma consulta a uma unidade de saúde para o diagnóstico da doença. O acompanhado deve ser periodicamente e em caso de alterações, consultar novamente um especialista. Esses exames são geralmente realizados a partir de testes audiológicos performados por um profissional da área, como um fonoaudiólogo.

Outra opção para alívio dos sintomas a longo prazo são os tratamentos terapêuticos, onde uma análise é feita cuidadosamente para avaliar o grau da patologia e como ajudar para que o chiado não seja tão incômodo. A Direito de Ouvir disponibiliza uma variedade de tratamentos e de especialistas para te ajudar no diagnóstico e tratamento da PAIR.

Convivendo com a Perda Auditiva Induzida por Ruídos (PAIR):

Caso o diagnóstico e tratamento não seja feito de maneira ágil, a doença pode vir a acarretar algumas complicações na rotina do indivíduo, como:

• Problemas para escutar sons como alarmes ou buzinas;

• Problemas para escutar sons de origem domésticos;

• Dificuldade em captar sons originados de ambientes como shows, festas, igrejas, etc.

• Há também a necessidade de elevar o volume de aparelhos domésticos, colaborando para uma consequência pior no canal auditivo;

• Problemas para se esforçar e cansaço contínuo, isso acontece devido a concentração dobrada que uma pessoa pode ter para escutar sons ou realizar tarefas;

• Transtornos psicológicos como a ansiedade também podem vir a ser um problema, por conta da irritação e falta de paciência com os chiados incômodos e constante;

• Isolamento por não querer estar em lugares com muito barulho, consequentemente afetando o convívio social do indivíduo;

• Irritação por saber do problema auditivo mas não conseguir resolver a situação de maneira rápida;

• Falta de interação com amigos e familiares costumam causar frustrações e aborrecimentos indesejáveis.

Como se prevenir da PAIR:

Apesar dos problemas gravíssimos citados neste artigo por quem sofre da Perda Auditiva Induzida por Ruído, os modos de prevenção devem ser priorizados, ainda mais em ambientes que são repletos de ondas sonoras agudas e de alta frequência. Em empresas, o cuidado deve ser redobrado e se manter de acordo com a Legislação vigente que tem como base evitar a danificação do aparelho auditivo dos trabalhadores.

É dever desses locais estabelecer regras, normas e oferecer equipamentos como protetores auriculares para que não haja riscos aos funcionários. Além disso, deve ser adotado um sistema de fiscalização mensal que ajude a monitorar o excesso de ruído emanado por cada espaço da empresa.

Caso haja a necessidade de um diagnóstico melhor e mais detalhado, não tenha receio de procurar um profissional especializado na área. A orientação e ajuda são essenciais para que a PAIR não se torne um problema desgastante na vida de suas vítimas. Agende uma consulta com a Direito de Ouvir e conheça nossos tratamentos.


Marcadores
Perda auditiva
Nós usamos seus dados para analisar e personalizar nossos anúncios e serviços durante sua navegação em nossa plataforma. Ao continuar navegando pelo site Direito de Ouvir você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las