5 efeitos da perda de audição na vida cotidiana

A perda auditiva não tratada pode ter consequências diretas e indiretas


Compartilhar

Independentemente da causa da perda auditiva, qualquer pessoa está vulnerável a sofrer com a dificuldade para ouvir ao longo da vida. E, quando esse momento chega, as pessoas percebem como a audição tem um papel importante em tudo o que faz: seu trabalho, sua vida pessoal, sua segurança e até na saúde física.


As consequências da diminuição da capacidade auditiva são diferentes para cada indivíduo, mas a maioria das pessoas que sofrem com a perda auditiva não tratada enfrenta alguns problemas sociais, físicos e psicológicos. Descubra agora 5 efeitos que a perda auditiva pode ter em sua vida:

1. Dificuldade para se comunicar

A comunicação é um dos aspectos mais prejudicados com a diminuição da capacidade de ouvir. Pessoas com perda auditiva sentem dificuldade para participar de conversas no trabalho, em casa e em situações sociais.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Outras atividades simples, como falar ao telefone, assistir seus programas de TV favoritos ou ouvir música também se tornam mais complicadas.

2. Diminuição do desempenho no trabalho

A perda auditiva não tratada pode prejudicar a produtividade, o desempenho e o sucesso na carreira de várias maneiras, incluindo dificuldade para ouvir em reuniões importantes ou em ligações e dificuldade para interagir com colegas e chefes no trabalho. Veja como os aparelhos são importantes no ambiente de trabalho.

Além disso, os problemas auditivos podem levar à fadiga auditiva no trabalho, afetar a capacidade de prestar atenção e reter informações à medida que o estresse e a falta de energia tomam conta do indivíduo e prejudicam a produtividade de forma geral.

3. Isolamento social

Quando a causa da perda auditiva é natural, a diminuição da capacidade auditiva acontece lentamente e, com o tempo, as pessoas começam a se afastar de situações sociais que parecem desafiadoras. Isso pode envolver deixar de sair com os amigos, evitar os encontros em família, deixar de frequentar ambientes barulhentos, entre outras situações.

O conjunto dessas atitudes pode levar a pessoa com perda auditiva não tratada ao isolamento e à solidão.

4. Depressão

Um dos efeitos psicológicos mais comuns para quem sofre com a perda auditiva é a depressão, uma doença mental grave e muito comum. Vários estudos comprovam que as pessoas com perda auditiva não tratada têm mais probabilidade de apresentar transtornos depressivos do que aquelas que usam aparelhos auditivos.

Nesse caso, além de procurar tratamento para a perda de audição - com aparelhos auditivos, terapia, implantes cocleares etc - é preciso procurar ajuda psicológica para tratar a depressão. Veja mais.

5. Estresse e irritabilidade

Não conseguir ouvir sons comuns do dia a dia ou se comunicar com as pessoas pode se tornar uma questão estressante, não só para aqueles com perda auditiva não tratada, como também para os amigos e entes queridos da pessoa.

É preciso ficar atento com os níveis elevados de estresse e irritabilidade pois essa condição está associada a um risco elevado de problemas cardíacos, câncer e outras doenças.

Percebeu como a diminuição da capacidade auditiva pode afetar a sua vida de forma negativa? A boa notícia é que os aparelhos auditivos ajudam a eliminar esses efeitos negativos e garantem uma boa qualidade de vida para o usuário.

Então, se você está passando por isso ou conhece alguém com dificuldades auditivas, procure um fonoaudiólogo da Rede de Clínicas Direito de Ouvir.