Por que a audição é importante para a fala?

A audição tem um grande impacto especialmente no desenvolvimento da linguagem


Compartilhar

A perda da audição é tipicamente associada à velhice. No entanto, pessoas de qualquer idade podem ser afetadas por esse problema auditivo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 466 milhões de indivíduos em todo o mundo sofre com perda auditiva, deste número, 34 milhões são crianças. Os cuidados com a audição na infância são cruciais no desenvolvimento infantil em vários aspectos, inclusive na linguagem. Veja os cuidados que precisam ter.

Não é novidade que a audição é importante para a fala em todas as fases da vida. Porém, pouco se discute sobre as razões que relacionam o desenvolvimento da linguagem e a capacidade auditiva. Pensando nisso, trouxemos este tema para o blog da Direito de Ouvir. Confira!


Conexão entre fala e audição

A capacidade de ouvir a própria fala e de outras pessoas é essencial para o desenvolvimento da linguagem oral ou no aprendizado de um novo idioma.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Logo no início da infância, as crianças aprendem as palavras que ouvem em seu ambiente. Por isso, o senso auditivo tem um papel crucial no desenvolvimento da fala, escrita e aprendizagem.

Para as crianças pequenas, cada dia é um novo momento de descoberta. Ao usar seus cinco sentidos, elas estão constantemente aprendendo coisas novas sobre o mundo ao seu redor. Mas, quando um dos órgãos sensoriais se danifica, o efeito pode ser estendido ao seu desenvolvimento de modo geral.

Especialistas apontam que somente através da audição e da imitação da fala que as crianças podem desenvolver sua vocalização, descobrir o significado das palavras e aprender a construir frases. Assim, a capacidade auditiva também influencia nas habilidades de comunicação e linguagem ao longo da vida.

Impacto da perda auditiva no desenvolvimento da linguagem

Conforme mostramos os dados no início deste artigo, a perda auditiva pode afetar qualquer pessoa, inclusive crianças. Por isso, os cuidados com a saúde auditiva são essenciais na infância, já que qualquer problema auditivo pode afetar diretamente o seu desenvolvimento.

As crianças com deficiência auditiva não tratada não recebem uma quantidade suficiente de estímulos auditivos ou não conseguem responder a eles. Algumas frequências de som podem ser difíceis de ouvir e compreender. Além disso, pode ser mais difícil compreender conceitos mais complicados, inclusive a estrutura das frases.

Outro ponto importante é que as crianças com perda auditiva podem não conseguir ouvir sua própria voz e, portanto, são incapazes de corrigir e adaptar suas habilidades de fala.

Consequentemente, isso atrasa o aprendizado do idioma e pode até impedir que elas aprendam a falar. Além do atraso no desenvolvimento da linguagem, as crianças com perda auditiva não tratada costumam ter problemas de comunicação interpessoal e se sentem socialmente isoladas.

Quaisquer problemas de desenvolvimento na infância são extremamente difíceis de serem corrigidos no futuro. Então, para evitar que a perda auditiva tenha um efeito duradouro no desenvolvimento infantil, é essencial fazer uma intervenção precoce. Quanto mais cedo for feito um diagnóstico, maior a probabilidade da criança desenvolver a fala e outras habilidades.

Desenvolvimento da linguagem e audição nas crianças

Por causa do grande impacto no desenvolvimento, é essencial que a perda auditiva não passe despercebida por muito tempo. Em crianças, os pais precisam ficar atentos para detectar qualquer sinal de que o filho não ouve muito bem. A seguir, estão alguns indicadores que mostram o desenvolvimento da linguagem e da audição de acordo com a idade.

0 a 5 meses

• Demonstra reação a sons altos e se assusta com barulhos inesperados;

• Vocaliza sons de prazer e desprazer de maneira diferente (risos, gritos, choro etc).

6 a 11 meses

• Começa a balbuciar;

• Reconhece sons familiares;

• Tenta se comunicar por gestos e ações (bate palma, manda beijo etc);

• Tenta repetir os sons;

• Começa a tentar falar “papai” e “mamãe”.

12 a 17 meses

• Diz algumas palavras para se referir a uma pessoa ou objeto, mesmo que a pronúncia não seja clara;

• Tenta imitar palavras simples;

• Responde à perguntas simples de maneira não verbal;

• Vocabulário pequeno.

18 a 23 meses

• Vocabulário de 50 palavras;

• Pede alimentos comuns pelo nome;

• Emite sons de animais, como “miau” e “mu”;

• Começa a combinar palavras, por exemplo, “quero leite”;

• Entende frases simples.

2 a 3 anos

• A fala está se tornando mais clara;

• Responde à perguntas simples;

• Usa frases com mais de 3 palavras;

• Compreende e segue ordens simples;

• Começa a usar pronomes (eu, você…), plurais e verbos no passado.

3 a 4 anos

• Identifica as cores;

• Usa a maioria dos sons de fala;

• Expressa ideias e sentimentos;

• Forma frases mais complexas e que fazem sentido;

• Entende tudo que é dito e pede para repetir quando não compreende.

4 a 5 anos

• Compreende perguntas mais complexas;

• A fala é compreensível, mas comete erros ao pronunciar palavras difíceis ou longas, como “hipopótamo”;

• Se envolve em conversas;

• Usa frases com 8 palavras ou mais;

• Usa a imaginação para contar histórias.

Sinais de problemas no desenvolvimento da linguagem, fala e audição

É importante saber que as crianças não são todas idênticas. Portanto, cada uma delas pode apresentar características de fala e audição diferentes ao longo do tempo. Entretanto, os problemas auditivos podem causar atrasos comuns na capacidade emitir sons, aprender a falar e se comunicar. Por isso, é essencial ficar atento aos seguintes sinais e conversar com um profissional caso identifique algum deles:

• Nenhuma resposta ao som em qualquer idade;

• Não pula ou se move com um som alto;

• Não começa a balbuciar por volta dos 3 meses;

• Nenhuma palavra falada entre 18 a 24 meses;

• Não segue comandos simples aos 2 anos;

• Má qualidade da voz em qualquer idade.

Um diagnóstico de perda auditiva precoce proporciona maiores chances de reabilitação para a criança. Um fonoaudiólogo pode trabalhar com os deficientes auditivos para amenizar os efeitos da perda da audição e superar qualquer atraso na comunicação. Portanto, ao suspeitar que seu filho ou qualquer pessoa possa ter perda auditiva, não espere para buscar ajuda profissional. Além disso, os cuidados com a audição são importantes para pessoas de qualquer idade.