Doença de Parkinson e a Perda Auditiva

Idosas com doença de Parkinson tem muitas chances de apresentar problemas auditivos


Compartilhar

Além dos sintomas típicos da doença de Parkinson, que incluem tremores, rigidez muscular, lentidão de movimentos e alterações na fala, a perda auditiva também ocorre frequentemente em pacientes com a doença.

A doença de Parkinson ainda não é considerada uma causa da perda auditiva, porém estudos comprovam a relação da doença do sistema nervoso com a perda auditiva, especialmente em idosos.


O que é a doença de Parkinson?

O Parkinson é uma doença neurodegenerativa que afeta principalmente o movimento. A condição é causada pela morte das células que produzem dopamina, um neurotransmissor químico que o cérebro libera no corpo para controlar o movimento.

A diminuição significativa de dopamina faz com que os sintomas do mal de Parkinson apareçam frequentemente em pessoas idosas, afetando aproximadamente 1% das pessoas com 65 anos ou mais e 2% das pessoas com 70 anos ou mais. Veja também como acontece a perda auditiva em idosos.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Relação entre mal de Parkinson e perda auditiva

De acordo com um estudo realizado em Taiwan, as pessoas com Parkinson são quase duas vezes mais propensas a serem afetadas pela perda auditiva.

Os pesquisadores acompanharam cerca de 5.000 pacientes com 63 anos ou mais com perda auditiva durante dez anos. Como resultado, a incidência da doença de Parkinson tinha 1,77 vezes mais chances de afetar um grupo de pacientes com perda auditiva do que um grupo que não apresentava problemas auditivos.

Embora o envelhecimento seja uma causa da perda auditiva bem comum, os baixos níveis de dopamina podem ser um fator que contribui com a perda auditiva em idosos com doença de Parkinson.

A ausência de dopamina pode causar danos a cóclea, uma cavidade do ouvido interno que converte as ondas sonoras em impulsos nervosos que o cérebro traduz em sons. A dopamina ajuda a proteger a cóclea contra a exposição ao ruído, o que é uma causa da perda auditiva permanente ao longo do tempo.

Como o mal de Parkinson é causado pela diminuição de dopamina, os resultados apresentam uma correlação direta entre a doença de Parkinson e a perda auditiva. Embora pesquisas adicionais sejam necessárias, os pesquisadores sugerem que a perda auditiva pode ser um sintoma não motor da doença de Parkinson.

Aparelhos auditivos como tratamento

O tratamento para a perda auditiva relacionada à doença de Parkinson envolve o uso de aparelhos auditivos para amplificar e melhorar a qualidade do som. Os aparelhos auditivos ajudam a ouvir os sons com mais clareza, diminuindo os efeitos do Parkinson na fala.

Também é importante agendar avaliações auditivas regulares com um fonoaudiólogo da Direito de Ouvir para garantir que a audição não esteja deteriorando ainda mais. O diagnóstico precoce de que sua audição está piorando permite que o fonoaudiólogo faça os ajustes necessários nos aparelhos auditivos para atender às necessidades dos pacientes.

Então, não deixe que a doença de Parkinson e a perda auditiva diminuam seu prazer de viver. Entre em contato com os especialistas em audição da Rede de Clínicas Direito de Ouvir para fazer uma avaliação completa da sua audição e obter mais informações sobre os tratamentos disponíveis para você.