5 maneiras simples para comprar Aparelho Auditivo

Os aparelhos auditivos estão cada vez mais tecnológicos e acessíveis


Compartilhar

Mais de 15 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de perda auditiva, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo que a maioria das pessoas com problema auditivo é idosa.

A perda auditiva não tratada é um problema de saúde sério já que pode levar a outros problemas, como depressão, problema de concentração e memória, além de problemas sociais, como isolamento e dificuldade para interagir com outras pessoas.


Em grande parte dos casos, o uso de aparelhos auditivos pode reduzir significativamente os sintomas da perda de audição e melhorar a qualidade de vida dessas pessoas.

As próteses auditivas são produtos altamente tecnológicos e, por isso, o valor pode ficar fora do orçamento da família. Mas saiba que mesmo as pessoas com baixa renda podem adquirir seu aparelho auditivo.

Neste artigo, vamos explicar mais sobre a perda de audição, como funcionam as próteses auditivas e algumas dicas para pessoas de baixa renda comprarem o seu. Acompanhe!

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Entendendo sobre a perda de audição

perda auditiva neurossensorial é a mais comum e ocorre quando as células ciliadas que revestem o ouvido interno são danificadas. Essas células são responsáveis por transformar as ondas sonoras em sinais elétricos que chegam ao cérebro como sons.

As principais causas da perda de audição neurossensorial são: envelhecimento, exposição a ruídos altos, infecções no ouvido, algumas doenças e histórico familiar de perda auditiva.

Esse tipo de problema auditivo é irreversível, mas em 95% dos casos pode ser gerenciado com o uso de aparelhos auditivos para amplificar os sons e diminuir os sintomas da perda de audição.

Outro tipo de perda auditiva é a condutiva. Ela é caracterizada pela incapacidade de conduzir os sons para o ouvido interno. Uma das principais causas da perda de audição condutiva é o excesso de cera nos ouvidos, além de acúmulo de líquidos por causa de infecções no ouvido.

Em muitos casos, a perda auditiva condutiva pode ser revertida ao remover o excesso de cera no ouvido ou tratar as infecções no ouvido médio. Quando isso não acontece, é indicado o uso dos aparelhos auditivos.

Como funcionam os aparelhos auditivos

Os aparelhos auditivos são dispositivos que amplificam os sons, tornando-os mais altos e fáceis de entender. É importante saber que o aparelho auditivo não cura a surdez, eles servem para aumentar os sons e diminuir os sintomas da perda de audição.

Existem aparelhos auditivos de diferentes formas, tamanhos, estilos e preços para atender todos as necessidades e exigências dos usuários.

Independentemente do modelo, o funcionamento da prótese é basicamente o mesmo. Os aparelhos auditivos possuem um microfone para captar o som, um amplificador para tornar o ruído mais alto e um receptor que envia o som para o canal auditivo.

Existem recursos e funcionalidades avançadas que podem melhorar ainda mais a experiência do usuário, de acordo com a necessidade de cada um. O modelo certo depende de vários fatores, como estilo de vida, tipo e gravidade da perda auditiva.

Porque os aparelhos auditivos são caros

Muitas pessoas diagnosticadas com perda de audição demoram a usar os aparelhos ou desistem de fazer o tratamento por causa dos preços altos dos aparelhos auditivos.

Mas antes, de desistir de usar as próteses, é preciso entender quais fatores influenciam no preço do produto.

O primeiro fator responsável pelo preço dos aparelhos auditivos é a tecnologia empregada no dispositivo. A indústria de aparelhos auditivos investe muito dinheiro com pesquisas e novas soluções para melhorar o funcionamento dos aparelhos.

Outro fato é que o preço final do aparelho auditivo inclui outros serviços, como audiometria e a consultoria do fonoaudiólogo durante todo o processo de adaptação às próteses.

É importante considerar que o aparelho auditivo é um investimento a longo prazo. Eles duram em média, de três a cinco anos e, com os cuidados adequados, a vida útil do aparelho pode aumentar.

Dicas para adquirir um aparelho auditivo com preço acessível

Se você tem um problema auditivo mas não tem muito dinheiro para investir em aparelhos auditivos, as dicas a seguir podem ajudar a encontrar soluções acessíveis.

1. SUS

Pessoas com problema auditivo e de baixa renda podem conseguir seu aparelho auditivo de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Após a comprovação da perda auditiva por meio de exames clínicos, é realizada a solicitação dos aparelhos. No entanto, o prazo para as consultas, realizações dos exames e entrega dos aparelhos costuma levar anos.

Então, se o a sua perda auditiva é grave, é indicado que você busque outras alternativas mais rápidas e acessíveis para adquirir o aparelho auditivo e não prejudicar ainda mais a sua saúde.

2. Compre apenas o necessário

Recursos adicionais, como Bluetooth e controle remoto, podem ser uma facilidade para o dia a dia mas também aumentam muito o valor do aparelho auditivo.

Se você acha que os recursos não serão essenciais, convém dispensá-los. Os aparelhos mais básicos podem fornecer tudo o que você precisa, por um preço bem menor.

3. Financiamento

Muitos bancos oferecem uma linha de crédito para pessoas com deficiência física, inclusive com problema auditivo.

É possível financiar apenas uma parte ou o valor total do aparelho auditivo, dependendo do banco e do limite disponível para cada pessoa.

Ao optar pelo financiamento, é preciso verificar a disponibilidade da agência bancária, as condições de crédito e pagamento e a disponibilidade do centro auditivo. Na Rede de Clínicas Direito de Ouvir é possível adquirir o aparelho auditivo com muita facilidade por meio do financiamento bancário em até 60 vezes.

4. Parcelamento

Se você não tem como pagar seu aparelho auditivo à vista ou fazer um financiamento, é possível fazer a compra parcelada.

Outra vantagem da Direito de Ouvir é oferecer condições de pagamento facilitadas. O parcelamento no cartão, por exemplo pode ser feito em até 10 vezes sem juros.

5. Plano de saúde

Quem possui um plano de saúde pode verificar se ele oferece a cobertura para aquisição de aparelhos auditivos. É importante conferir se o plano cobre o gasto total com os dispositivos ou se reembolsam uma parte dos gastos.

Aparelhos auditivos não são um luxo, e sim, uma necessidade para melhorar a qualidade de vida de quem tem problema auditivo. Por isso, a Rede de Clínicas Direito de Ouvir conta com opções de aparelhos auditivos acessíveis e com pagamento facilitado. Assim, qualquer pessoa pode adquirir sua prótese e recuperar a audição.

Para obter mais informações, entre em contato com a nossa equipe.