Por Direito de Ouvir

11 de março de 2022

Escolhendo o melhor aparelho auditivo

O Fonoaudiólogo Audiologista tem papel fundamental no processo de seleção

11 de março de 2022



Usar aparelho auditivo é um passo importante e fundamental na vida de quem possui perda auditiva com indicação para protetização, mas como e quem fará todo esse processo de escolha e seleção de qual aparelho auditivo irei usar?

Em primeiro lugar, é necessário que o paciente agende uma consulta com um Fonoaudiólogo Audiologista e tenha em mãos os exames de audiometria e logoaudiometria recentes, com validade de um ano, pois é baseado no grau e tipo da perda auditiva e também no nível de compreensão de fala, que o Fonoaudiólogo fará a seleção mais assertiva dos aparelhos auditivos.

O Fonoaudiólogo Audiologista tem papel fundamental nesse processo, pois é ele que tem conhecimento dos modelos de aparelhos auditivos e para qual grau e tipo de perda auditiva cada modelo é mais adequado, assim como quais serão as tecnologias que irão beneficiar o paciente.

Para auxiliar nessa seleção, o Fonoaudiólogo Audiologista também irá avaliar alguns pontos importantes durante a anamnese, que é aquela “conversa investigativa” que acontecerá na primeira consulta. Nela, o Fonoaudiólogo questiona sobre acuidade visual, destreza manual, infecção no ouvido, zumbido, lugares que costuma frequentar, entre outros.

Para pacientes com baixa acuidade visual e/ou destreza manual, o Fonoaudiólogo Audiologista terá que ter uma atenção especial quanto ao modelo a ser selecionado, pois não seria adequado um aparelho auditivo pequeno, que trará dificuldades quanto ao manuseio, colocação/retirada, causando desconforto ao paciente que pode até chegar a desistir de fazer uso de suas próteses auditivas.

Para pacientes com zumbido, o Fonoaudiólogo Audiologista deverá selecionar o aparelho auditivo com o recurso de gerador de som para um possível mascaramento do zumbido.

Não menos importante, o Fonoaudiólogo Audiologista deve investigar experiências anteriores com aparelho auditivo, mesmo que tenha sido foi apenas um teste, ou se já é usuário, buscando saber modelo e tecnologia, satisfação do paciente com o que já faz uso para decisão de manter ou mudar a adaptação para novos conhecimentos.


A partir de apurados todos esses detalhes, o paciente poderá usufruir de um teste domiciliar de 7 dias para comprovar os benefícios dos recursos e das tecnologias disponíveis.

Quais os modelos de aparelhos auditivos que são indicados para cada grau de perda auditiva? Vamos conhecer abaixo:


Micro Canal (CIC): indicado em caso de perda auditiva de grau leve a moderado;

Intra Canal (ITC): indicado em caso de perda auditiva leve, moderada e severa (dependendo da anatomia do conduto auditivo e potência do receptor);

Mini Retroauricular (MBTE): indicado em caso de perda auditiva leve a severa;

Retroauricular (BTE): indicado em caso de perda auditiva de grau leve a severo;

Adaptação aberta (Open fit): indicado para perda auditiva de grau leve, perda em rampa com frequências graves preservadas e frequências agudas rebaixadas. Dependendo do formato da oliva, a adaptação desse aparelho pode estender para uma perda de grau moderado;

Receptor no canal (RIC): indicado em caso de perda auditiva de grau leve a moderadamente severo.

Lembrando que para a seleção do aparelho auditivo para teste, não se considera apenas o exame de audiometria, mas todos os itens da anamnese durante a entrevista inicial com seu Fonoaudiólogo Audiologista, pois cada paciente possui uma necessidade auditiva.

Cuide de sua saúde auditiva, caso perceba alguma dificuldade para ouvir procure um Fonoaudiólogo ou Médico Otorrinolaringologista.

E para agendar sua consulta, fale com a Direito de Ouvir!

Fonoaudióloga Karen Borba
CRFa: 2-16720


Marcadores
Aparelhos Auditivos
Nós usamos seus dados para analisar e personalizar nossos anúncios e serviços durante sua navegação em nossa plataforma. Ao continuar navegando pelo site Direito de Ouvir você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las