Categoria: Perda Auditiva.

Aparelho Auditivo Aparelhos Auditivos Perda Auditiva Brinquedos Podem Prejudicar Audiu00e7u00e3o de Bebu00eas

No intuito de agradar ou entreter os filhos, muito pais acabam cercando os bebês de uma infinidade de brinquedos. São pianinhos que tocam música, bichinhos que fazem ruídos, acendem luzes e se movimentam, chocalhos barulhentos e uma série de outros objetos barulhentos. O que muitos se esquecem é que a audição dos pequenos é muito sensível e que brinquedos que emitem sons elevados podem prejudicá-los. Especialistas afirmam que o nível de ruído dos brinquedos não deve ultrapassar 80 decibéis. Caso a intensidade seja maior a criança pode sofrer perda auditiva, sendo em alguns casos, irreversível.

Nos primeiros meses de vida mamães e papais estão empolgados com os avanços dos bebês e muitas vezes se esquecem de acompanhar o desempenho da audição, fundamental para o desenvolvimento da criança. 

Por se tratar de um sentido bastante sensível nos bebês, os pais devem ficar atentos aos ruídos emitidos por brinquedos e acessórios para que não causem perda auditiva.

Ruídos que não prejudicam a audição

Para que os brinquedos não ofereçam perigo à saúde auditiva dos bebês o nível de ruído não deve ultrapassar 80 decibéis. Caso a intensidade seja maior a criança pode sofrer perda auditiva, sendo em alguns casos, irreversível.

Além dos níveis de ruído, o tempo de exposição também deve ser levado em consideração. Mesmo que o aparelho esteja abaixo de 80 decibéis, é importante evitar que fique ligado a noite toda, pois, normalmente está bem próximo da criança podendo ser prejudicial.

Perda auditiva: silêncio é a melhor opção

Na hora de dormir o melhor som ambiente é o silêncio. Acostumar o bebê a dormir com algum estímulo sonoro criará nele um condicionamento e o som quando colocado repetidamente poderá causar a perda de audição.

Na hora de dormir o silêncio e durante o dia proporcione diversos estímulos ao bebê a fim de aprimorar sua audição. Fale bastante com a criança, a voz materna acalma a criança, cante para ela, conte histórias e deixe-o escutar músicas de estilos variados.

Como escolher os brinquedos?

Desde 1992, a certificação de brinquedos é compulsória no Brasil. A obrigatoriedade visa dar a confiança de que o produto foi fabricado observando requisitos mínimos de segurança – um brinquedo que não obedece o regulamento pode conter, por exemplo, tinta tóxica ou componente que contamine o organismo da criança. Mas nem todos os brinquedos do mercado – principalmente os “piratas” – são certificados.

Especialistas recomendam que os pais verifiquem o som emitido pelos brinquedos na hora da compra. O ideal é sempre procurar o selo que garante o ruído abaixo de 85 decibéis – volume que não compromete o desenvolvimento do sistema auditivo da criança.

Se não tiver o selo, pense bem. Em casa, o barulho natural da casa vai se somar ao do brinquedo. Dessa maneira, pode trazer prejuízos para a audição do bebê sem que os pais percebam. Caso os pais façam questão de levar o presente, uma dica pode ser usar aplicativos para celular que possam medir os decibéis do carrinho, boneca ou instrumento musical. E caso notem alguma mudança na audição da criança, busquem sempre a orientação de um médico.