Ruídos no trabalho prejudicam audição do feto

Níveis altos de ruídos devem ser evitados durante a gravidez

Você sabia que a exposição a ruídos pode prejudicar a audição do feto? Um estudo promovido pelo instituto sueco de medicina do trabalho Karolinska Institutet apontou que crianças geradas por grávidas que trabalham em ambientes ruidosos têm 80% a mais de chance de ter problemas de audição.

Por isso é fundamental que as mulheres evitem a exposição a níveis altos de ruídos durante a gravidez.

Para chegar a essa conclusão, o estudo analisou dados de 1,4 milhões de crianças nascidas na Suécia no período entre os anos de 1986 e 2008. Durante a pesquisa, foram coletadas informações sobre a ocupação das mães, se elas eram fumantes ou não, sua idade, etnia, índice de massa corporal (IMC), licença maternidade, além de fatores socioeconômicos.


Entenda como funcionou a pesquisa

Ao todo, foram analisadas cerca de 1.5 milhão de mulheres. Elas foram divididas pelo ruído ao qual eram expostas. O perfil geral das expostas a mais do que 75 decibéis era: de 24 a 33 anos, 85% não fumante, 55% com ensino médio completo e 57% trabalhando em tempo integral. As mulheres expostas entre 75 e 85 dB e as abaixo de 85 dB também tinham basicamente o mesmo perfil.

Os resultados gerais, que reuniam mães que trabalham em tempo integral e meio período, apontaram que as disfunções auditivas relacionadas às grávidas que estavam expostas a níveis de ruídos entre 85 e 75 decibéis foi de 1.27. Para as trabalhadoras de tempo integral a proporção de ajuste era de 1,82.

A recomendação dos especialistas é que grávidas devem evitar níveis de ruídos acima de 80 decibéis.

Como funciona a audição do feto

O desenvolvimento da audição inicia por volta do 5º mês de gestação, mas o feto não parece estar preparado para os estímulos sonoros externos ao corpo da mãe. Estudos recentes de Niemtzow (1993) revelaram que ruídos de 60 dB a 80 dB produzem estresse e acima de 80 dB são nocivos à saúde fetal.


Pesquisas demonstraram também que o feto pode detectar, responder e diferenciar sons, assim como a sua intensidade e altura. O feto tem a capacidade de ouvir e desenvolver memória dos sons intraútero.

O líquido amniótico pode amplificar alguns tipos de som, como os muito graves. A voz da mãe também é amplificada em cerca de 5 decibéis. É preciso considerar que um barulho muito forte faz com que o organismo da mãe produza hormônios ligados ao estresse, fazendo o coração acelerar, o que não é bom para o bebê. Saiba mais sobre o desenvolvimento da audição do bebê.



Como proteger seu bebê?

As grávidas devem ficar atentas ao nível de ruído ao qual estão expostas no trabalho. Em determinados casos, é importante que elas usem equipamentos de proteção individual para proteger a audição. Mas caso o ruído seja muito elevado, o ideal é que a grávida seja realocada para outra função.

Após o nascimento, é importante que a criança passe pelo Teste da Orelhinha, que também pode identificar distúrbios auditivos. Os pais também precisam ficar atentos porque, em muitos casos, a perda auditiva infantil pode passar despercebida. Saiba mais!

Continue lendo
Audição Curiosidades

Mais do Blog

Curiosidades6 meses atrás

Pesquisadores Estudam Misofonia, Aversão A Sons

A Misofonia: Aversão A Determinados Sons, Ganha Estudo Na Inglaterra

Audição5 meses atrás

Ouvido Entupido? Conheça as Principais Causas

Conhecido como autofonia, este problema pode acontecer por uma série de fatores

Curiosidades5 meses atrás

Coceira no ouvido: O que pode ser? Como tratar?

Saiba mais sobre as causas e tratamentos do popular "comichão" nos ouvidos

Curiosidades5 meses atrás

Implante Coclear: O que é? Como funciona?

Aparelhos auditivos suprem níveis variados de perda de audição

Curiosidades5 meses atrás

Como o nosso ouvido funciona?

Ele capta os sons e transmite essa informação para o cérebro

Curiosidades, Perda auditiva5 meses atrás

Síndrome de Usher causa surdez e cegueira

Doença genética associa a perda da audição com redução da visão