Por Gabriela Bandoni

27 de novembro de 2019

Cuidados com os ouvidos durante a natação

A água pode causar danos graves aos seus ouvidos

27 de novembro de 2019

Compartilhar

Clima quente, dias ensolarados e natação andam de mãos dadas. Afinal, quando a temperatura aumenta, nada melhor do que uma praia, rio ou piscina para se refrescar, não é mesmo? Ou então, você pode ser um atleta apaixonado pela natação e aproveitar a atividade durante todo o ano.

Mesmo com muitos benefícios para a saúde e o bem-estar, essa prática também pode representar um risco para sua saúde auditiva. Embora não cause perda auditiva em si, a falta de cuidados com os ouvidos durante a natação pode resultar em problemas, como ouvidos entupidos e infecções.


Mas não precisa ficar com medo e se afastar da água! Existem alguns cuidados com os ouvidos que você pode ter para preservar sua saúde auditiva.

Como a natação pode afetar os ouvidos?

A exposição à água pode levar a um problema auditivo comum chamado otite externa ou ouvido de nadador. A condição acontece quando uma bactéria encontrada em águas naturais, como praias, lagos ou rios atinge os ouvidos.


Além disso, a orelha de nadador pode ser adquirida em piscinas que não são tratadas adequadamente com cloro. Embora seja menos comum, o problema também pode acontecer depois de tomar um banho, já que qualquer exposição à água pode afetar os ouvidos.

Mas, afinal, como a água pode causar problemas auditivos? Deixa que a gente explica!

O acúmulo de líquido no ouvido compromete a barreira de cera que serve justamente para proteger os ouvidos contra infecções e bactérias. Assim, a orelha de nadador é caracterizada por uma inflamação no tubo que fica entre o ouvido externo e o tímpano.

Geralmente, a inflamação só ocorre após a exposição repetida à água. Mas, às vezes, apenas algumas gotas de água podem causar desconforto e irritação.

Sintomas da orelha de nadador

Na maioria das vezes, a otite externa é suave e pode ser tratada apenas com cuidados para manter os ouvidos secos por um tempo. Mas, em casos raros, o problema pode se agravar e tornar uma infecção no ouvido, que pode causar febre e perda auditiva temporária.

Os sintomas iniciais da orelha de nadador incluem:

  • dor no ouvido (moderada a grave);

  • vermelhidão e inchaço no ouvido externo;

  • secreção (pus) que pode cheirar mau;

  • coceira e irritação no local;

  • pele escamosa;

  • sensibilidade ao movimentar a orelha ou a mandíbula;

  • diminuição da audição.


Perigos da orelha de nadador

Se a inflamação não for tratada, ela pode causar algumas complicações. Uma delas é a infecção crônica do ouvido, uma condição que aumenta as chances de perda auditiva com a idade.

Além disso, se a infecção ficar mais grave, poderá resultar em perda auditiva temporária ou permanente. Outra complicação da orelha de nadador é a infecção do osso e da cartilagem ao redor da inflamação.

Por isso, é essencial ter cuidados com os ouvidos antes, durante e após a prática da natação.


Natação e aparelhos auditivos

Se você já usa aparelhos auditivos, não há motivos para evitar a natação. Contudo, além dos cuidados com os ouvidos, você precisa ficar atento às próteses. A maioria dos aparelhos é resistente à umidade, mas isso não significa que eles podem ficar totalmente submersos na água.

Mas, se você tem um estilo de vida ativo e a prática da natação faz parte do seu dia a dia, procure seu especialista em audição. Ele poderá ajudá-lo a encontrar a melhor solução, como um aparelho auditivo resistente à água ou revestir o dispositivo com um material impermeável.


Cuidados com os ouvidos durante a natação

Quando se trata da saúde auditiva, o melhor remédio é a prevenção. Por isso, da próxima vez que você for para a piscina, certifique-se de tomar alguns cuidados com os ouvidos para manter a água longe das orelhas. Confira algumas maneiras simples a seguir:


1. Use tampões

Os tampões para ouvidos (próprios para natação) podem ser verdadeiros salva-vidas para quem adora dar um mergulho. Eles são feitos para se moldar de acordo com a forma de cada ouvido, criando uma barreira que mantém a água afastada. Os modelos de silicone, por exemplo, são bem macios e podem ser lavados e reutilizados.


2. Verifique a água

Especialmente no caso de piscinas, é importante inspecionar a água antes de nadar. Isso porque algumas piscinas não são tratadas da maneira correta, facilitando a proliferação de bactérias perigosas. Portanto, sempre verifique se a água está limpa e com cloro.

Também é válido conferir a qualidade da água da praia, rio ou lago e evitar a água estagnada.


3. Seque os ouvidos

Sempre limpe e seque os ouvidos após a natação. Para isso, você pode utilizar um secador de cabelo com a temperatura baixa. É importante manter uma distância segura - pelo menos 30 cm das orelhas - para não prejudicar sua saúde auditiva.


Como remover a água dos ouvidos

Mesmo seguindo os cuidados com os ouvidos, ainda pode entrar um pouco de água no local. Nesse caso, existem algumas soluções simples para remover a água e evitar complicações:

  • Incline a cabeça: vire levemente a cabeça ou deite-se do lado em que a orelha está entupida. A gravidade vai fazer o restante do serviço e eliminar a água. Se não resolver, basta adicionar um pouco de pressão no ouvido;

  • Use vapor: faça uma compressa quente ou tome um banho com bastante vapor. Isso pode ajudar a abrir as trompas de Eustáquio e permitir que a água escoa;

  • Use álcool e vinagre: misture partes iguais das duas substâncias e aplique no ouvido com um conta-gotas. Isso ajuda a dissolver a cera e evaporar a água;

  • Peróxido de hidrogênio: o produto é vendido nas farmácias e é aplicado com um conta-gotas, assim como a mistura de álcool e vinagre.

    Viu como a natação pode ser uma atividade prazerosa e divertida? Desde que você tenha os devidos cuidados com os ouvidos, a natação não apresenta grandes riscos de infecções e perda auditiva. Por isso, siga todas as dicas acima para preservar a sua saúde auditiva e aproveite!