Sinais de perda auditiva

A autoexclusão de crianças e adolescentes pode ser um indício


Compartilhar

No período de férias escolares são propostas várias atividades para as crianças e adolescentes, que visam a interação e comunicação entre eles. Se o seu filho, ou alguém próximo evita estar em roda de amigos ou em atividades que precisa de diálogo, é bom ficar em alerta. A autoexclusão é um dos sintomas de perda auditiva. Existem vários graus de diminuição da audição e perda auditiva.


Segundo um levantamento realizado nos últimos anos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca 1 milhão de pessoas com deficiência auditiva no País são crianças e jovens de até 19 anos. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que mais de 5% da população mundial sofre de surdez incapacitante, sendo que 32 milhões delas são crianças.

As perdas auditivas são classificadas em graus:

LEVE (21 A 40 dB) – Quando a pessoa não consegue ouvir sons suaves e tem dificuldade para entender a fala e alguns sons, como o canto dos passarinhos.

MODERADA (41 A 70 dB) – Nesse caso, existe dificuldade para ouvir sons mais altos. Como por exemplo: barulhos de máquinas e latido de cães.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


SEVERA (71 A 90 dB) – Pessoas com este tipo de perda auditiva não conseguem ouvir o toque do telefone e compreender a fala.

PROFUNDA ( 91 dB) –  Quem tem perda auditiva profunda não ouve praticamente nada, nem sons considerados extremamente altos, como de uma turbina de avião. Nesses casos o uso do aparelho é indispensável.

Além da exclusão as crianças e adolescentes demonstram outros sinais:

Assiste televisão muito próxima do aparelho e sempre pede para que o volume seja aumentado;

Só responde quando a pessoa fala na frente dela e não reage a sons que não pode ver;

Pede que repitam várias vezes o que lhe foi dito, perguntando "o quê?", "como?";

Diz que não lhe escuta e é obvio que muitos pais acham que seus filhos não são atenciosos quando de fato deve existir uma perda auditiva não identificada;

Parece ficar desatento;

Fala mais alto que anteriormente;

Olha para você com muita intensidade quando você fala com ele, como se dependesse mais dos sinais visuais para interpretar a conversa.

Dificuldade para concentrar na escola

Crianças e adolescentes com problemas comportamentais também podem apresentar dificuldades auditivas. Até uma pequena perda na capacidade de percepção auditiva pode influenciar o comportamento e o desenvolvimento.

Procure tratamento

Se você identifica esses sintomas no seu filho, ou em alguém próximo agende uma consulta. Quanto antes o problema for identificado mais sucesso terá o tratamento.