Categoria: Imprensa, Prevenção da Perda Auditiva.

importancia-fazer-exames-auditivos

Você provavelmente já passou por um exame oftalmológico,um teste cardíaco e já fez exames de sangue, certo? Mas quando foi a última vez que você testou a sua audição? Se a resposta foi “nunca”, não se assuste. É muito comum que as pessoas só procurem passar por exames auditivos quando sentem que algo está errado com a capacidade de ouvir. Mas o ideal é que os testes auditivos façam parte da lista de exames de rotina porque através deles é possível detectar e tratar diversos problemas.

A audição é o primeiro sentido sensorial a se desenvolver e é também quase sempre o último a desaparecer.

Conheça os principais exames auditivos

Quais são os principais exames? Audiometria tonal, vocal e imitanciometria estão entre os mais utilizados pelos fonoaudiólogos. Conheça mais sobre eles:

Audiometria é o exame que detecta a capacidade do paciente de ouvir os sons. A audiometria vocal, por exemplo, tem a finalidade de avaliar a capacidade do paciente de compreender a voz humana emitida pelo examinador.

Já a imitanciometria é um exame rápido, indolor e que objetiva avaliar as condições da orelha média com o fornecimento de informações a respeito do funcionamento do tímpano e dos ossículos presentes nessa região. Ele é feito através de um pequeno fone inserido superficialmente no canal auditivo.

Segundo os especialistas, pessoas que não têm histórico de problemas auditivos podem fazer os exames uma vez ao ano.

Sinais da perda auditiva

Agora que você já conhece os exames auditivos, conheça alguns sinais que podem indicar a perda auditiva:

  • Você sempre pede aos outros para se repetirem?
  • Tem amigos ou familiares que dizem que você não ouve bem?
  • Deixa a TV ou o rádio em volume mais alto do que os outros?
  • Tem dificuldade em entender conversas com ruídos ao fundo?
  • Tem dificuldades em acompanhar conversas em grupo?
  • Tem dificuldade em identificar de onde os sons estão vindo?

Conheça outros sinais aqui!

Por que o diagnóstico precoce é importante?

Estima-se que maioria das pessoas com perda auditiva espere até sete anos após o diagnóstico para procurar tratamento. Elas desconhecem o fato de que, quanto antes o déficit for identificado e tratado, menos capacidade de ouvir seja prejudicada.

Deixar de tratar a perda auditiva pode acarretar uma série de consequências que estão muito além da simples incapacidade de escutar. O declínio da audição pode acelerar as atrofias da massa cinzenta e até interferir na taxa de mortalidade dos pacientes.

Além disso, quanto mais cedo for diagnosticada a redução na capacidade de ouvir e adotado o uso do aparelho auditivo, melhor será a adaptação e menor o prejuízo na qualidade de vida da pessoa com perda auditiva.

Como tratar a perda auditiva

Uma vez que a perda auditiva for diagnosticada é importante buscar tratamento. É comum que muitas pessoas evitem procurar a ajuda de médicos por vergonha ou até mesmo preconceito. Mas quanto mais cedo começar o tratamento melhor.

A surdez tem várias causas, mas na maioria dos casos, ela pode ser resolvida com o uso de aparelhos auditivos. Com a restrição sonora, o nervo auditivo vai sofrendo uma espécie de atrofia. Com o uso das próteses auditivas, essa privação não acontece e as funções do nervo são preservadas. Por isso é importante buscar ajuda o quanto antes.

Quer agendar uma consulta na Direito de Ouvir? Clique aqui!