Problemas de fala nas crianças

Qual é a idade certa para uma criança começar a falar? Descubra!

Qual é a idade certa para uma criança começar a falar? Essa dúvida aflige muitos pais. Normalmente as crianças aprendem a falar nos dois primeiros anos de vida, mas há muitas razões pelas quais o seu filho pode começar a falar um pouco mais tarde, ou até muito mais tarde do que as crianças da idade dele. Poucas delas são sérias e a maioria das crianças acaba se ajustando. Por exemplo, a maioria das meninas começa a falar antes dos meninos. O ambiente em que a criança vive pode afetar o desenvolvimento da fala também.

Se sua família não fala tanto, o seu filho provavelmente vai começar a falar depois e menos do que as outras crianças. Se ele passa os dias em uma creche ou maternal na qual uma pessoa é responsável por várias crianças, o desenvolvimento da fala pode ser mais devagar.

Fatores que afetam a fala

A competição por atenção individual em casa também pode fazer com que a criança comece a falar mais tarde. Por exemplo, se você tem dois filhos de idades muito próximas, ou gêmeos, pode ser que você não consiga dar muito tempo a cada um deles individualmente. Às vezes, a linguagem particular que os gêmeos desenvolvem é mais devido à falta de conversas individuais com um dos pais do que o desejo de falar entre eles mesmos.

Outros fatores que afetam o desenvolvimento da fala são a inteligência, audição e controle dos músculos envolvidos no ato da fala. A fala pode ser atrasada ou impedida se os centros da fala no cérebro não forem normais, ou se houver alguma anormalidade da laringe, garganta, nariz, língua ou lábios. E ela também pode não se desenvolver normalmente devido à surdez parcial ou total, deficiência mental, danos cerebrais ou problemas no funcionamento dos centros de fala no cérebro.

Desenvolvimento da audição infantil

O desenvolvimento da audição da criança começa no útero da mãe e vai evoluindo à medida que ela cresce. Entre o quarto e o sexto mês após o nascimento, os estímulos auditivos, por sua vez, contribuem para a evolução da linguagem. Caso o bebê não produza sílabas, é preciso consultar um especialista para verificar se há ou não perda auditiva e buscar um tratamento caso seja necessário.


Audição e linguagem: etapas da evolução -  Além da fala, o desenvolvimento intelectual e pessoal da criança também tem relação íntima com a audição. A habilidade que a criança tem de se comunicar verbalmente depende totalmente da habilidade que ela tem de ouvir. Para aprender a falar, por exemplo, a criança precisa ouvir. Acompanhe como deve ser o a evolução do bebê envolvendo a audição e a linguagem.

Nascimento até 3 meses - Acorda e/ou espanta- se com ruídos

Dos 3 aos 4 meses - Procura a origem dos novos sons e acalma-se com a voz materna

Dos 6 aos 9 meses - Diverte-se com jogos musicais

Dos 12 aos 15 meses - Possui um vocabulário com 3 a 5 palavras e imita alguns sons

Dos 18 aos 24 meses - Conhece as partes do corpo e tem um vocabulário de 20 a 50 palavras (utiliza frases de 2 palavras).

Aos 36 meses - Possui um vocabulário de aproximadamente 500 palavras (utiliza orações com 4 e 5 palavras) e compreende alguns verbos.

Confira dicas de como manter a saúde auditiva das crianças!

Continue lendo
Curiosidades

Mais do Blog

Curiosidades6 meses atrás

Pesquisadores Estudam Misofonia, Aversão A Sons

A Misofonia: Aversão A Determinados Sons, Ganha Estudo Na Inglaterra

Curiosidades6 meses atrás

Coceira no ouvido: O que pode ser? Como tratar?

Saiba mais sobre as causas e tratamentos do popular "comichão" nos ouvidos

Curiosidades5 meses atrás

Implante Coclear: O que é? Como funciona?

Aparelhos auditivos suprem níveis variados de perda de audição

Curiosidades5 meses atrás

Como o nosso ouvido funciona?

Ele capta os sons e transmite essa informação para o cérebro

Curiosidades, Perda auditiva5 meses atrás

Síndrome de Usher causa surdez e cegueira

Doença genética associa a perda da audição com redução da visão

Audição, Curiosidades5 meses atrás

Como funciona o tímpano no sistema auditivo

Conheça qual é o papel desta membrana na transmissão das ondas sonoras para o cérebro