Gabriela Bandoni
Por Gabriela Bandoni
Fono Especialista

23 de novembro de 2018


0 compartilhamentos
Nenhum comentário

Poluição sonora afeta o comportamento dos animais

Os problemas podem ir desde perda auditiva até prejudicar a evolução de diversas espécies


Compartilhar

Poluição sonora afeta os animais

Barulhos de carros, buzinas, máquinas e muitos outros ruídos podem causar muitos problemas nos seres humanos, inclusive perda auditiva. Mas você sabia que esses sons também podem prejudicar os animais?


Diferentemente de nós, eles não podem desligar um aparelho de som ou tapar os ouvidos. Por isso, eles não conseguem se defender desses sons e as consequências são cada vez mais graves, incluindo mudanças na evolução das espécies.

Alguns estudos recentes mostram que a poluição sonora pode ter efeitos negativos em animais de diversas espécies e habitats. Aqui, estão algumas mudanças de comportamento notadas em animais por causa de ruídos.

Pássaros

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Pássaros e outros tipos de aves dependem fortemente da comunicação sonora e vocal para interagir entre si. Porém, quando ficam expostos a ruídos contínuo em ambientes, como estradas, cidades e áreas industriais, a tendência é que eles mudem o seu comportamento.

Algumas espécies precisam mudar a frequência do canto para serem ouvidas por outros animais.

Outras, precisaram mudar o tempo do canto. Se antes elas cantavam apenas durante o dia, justamente no momento em que a poluição sonora costuma ser mais alta, elas começaram a cantar à noite.

Essa mudança não tem a ver apenas com o horário, mas também altera padrões de comportamento de espécies urbanas.

Animais marinhos

Até mesmo nas profundezas do mar, muitas espécies de animais também são afetadas pelo barulho. Tráfego marítimo, ruídos causados pela exploração de petróleo, levantamentos sísmicos e sonares militares são as principais fontes de barulho intenso no mar.

Esses sons podem causar uma série de problemas para as espécies marinhas, principalmente daquelas que dependem da audição para a caça, o acasalamento e a comunicação. Esse é o caso dos mamíferos marinhos, como baleias, golfinhos e botos.

Além de danificar diretamente a audição dos animais, causando perda auditiva, os ruídos altos são responsáveis por uma série de encalhes de baleias em massa.

Outras mudanças de comportamento também foram notadas na baleia azul, que passou a emitir sons mais altos quando estão expostas a ambientes ruidosos.

Os impactos dos ruídos também são notados em peixes e invertebrados marinhos e de água doce. Em caranguejos e enguias, por exemplo, foi notado uma certa dificuldade para se defender de predadores e problemas de alimentação.

Animais terrestres

A poluição sonora pode acabar com a vida sexual e, consequentemente, comprometer a população de algumas espécies de anfíbios.

Um exemplo é o caso de rãs que usam o sentido auditivo e vocal para o acasalamento. Em alguns locais com muito ruídos, os machos precisam mudar a frequência para atrair as fêmeas, que acabam não gostando do que ouvem e rejeitam o macho.

Outros estudos também comprovaram a ligação da poluição sonora com mudanças de comportamento em cães da pradaria, uma espécie de roedor típica da América do Norte. O número de cães no solo diminuiu, a procura por predadores aumentou e os momentos de interação e descanso foram reduzidos pela metade.

Percebeu como a poluição sonora pode prejudicar várias espécies de animais, causando perda auditiva e outros problemas graves? E você, já notou alguma mudança de comportamento nos animais (inclusive os domésticos) por causa dos ruídos em excesso? Compartilhe nos comentários!