Barulho na sala de aula pode causar perda auditiva

Um estudo mostrou que professores são afetados pela perda auditiva induzida por ruído


Compartilhar

O sinal tocando, conversas animadas, apresentações e brincadeiras são sons comuns em qualquer escola. Esses barulhos até parecem inofensivos mas, na verdade, podem ser mais prejudiciais à audição humana do que um maquinário pesado.


Muitas pesquisas sugerem que os barulhos na sala de aula são uma causa da perda auditiva induzida por ruído em professores.

Perda auditiva em professores

Um relatório publicado pela EPIC Hearing Healthcare, apontou que 15% dos professores sofrem com perda auditiva, enquanto apenas 12% dos profissionais de outras áreas foram afetados por problemas auditivos.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


A diferença pode parecer pequena, mas o estudo também descobriu que entre os professores mais jovens, a taxa é mais significante. Entre os professores com idade entre 18 e 44 anos, 26% sofrem com problemas auditivos. Esse número é bem mais alto em comparação à média americana, que é 17%.

A diferença de 9% mostra que o ruído ocupacional em salas de aula, refeitórios, ginásios e corredores das escolas aumenta a probabilidade de que muitos professores sofram com a perda auditiva induzida por ruído durante sua carreira.

Professores de música, educação física e da educação infantil são mais vulneráveis aos problemas auditivos porque gastam muito tempo nesses ambientes barulhentos. Mas os alunos não precisam se preocupar pois o tempo que eles permanecem nos ambientes ruidosos não é o suficiente para causar danos à audição.

Entendendo a perda auditiva induzida por ruído

Os efeitos da exposição excessiva a níveis perigosos de ruído podem ser notados a curto prazo com uma alteração na audição ou zumbido no ouvido. Com o tempo, a exposição repetida a ambientes ruidosos é uma causa da perda auditiva permanente.

Isso acontece porque a exposição prolongada a altos níveis de som causam danos permanentes nas células ciliadas - responsáveis por captar as vibrações sonoras e enviar para o cérebro - e, portanto, causam perda auditiva irreversível. Esse tipo de problema auditivo não tem cura e, em muitos casos, pode ser tratado com aparelhos auditivos.

A exposição a ambientes de trabalho ou lazer barulhentos é a principal causa da perda auditiva induzida por ruído. Em algumas profissões, como em indústrias, os trabalhadores costumam usar protetores auriculares para evitar problemas auditivos.

No caso dos professores, esse problema é negligenciado e as vozes de alta frequência de várias crianças em uma sala de aula acabam prejudicando a audição com o tempo.

Professores não buscam tratamento

Embora a perda auditiva em professores seja notada precocemente, quase 30% dos participantes admitiram que não procuraram tratamento. Infelizmente, a perda auditiva não tratada pode se agravar com o tempo, além de prejudicar o desempenho do profissional em sala de aula e até criar problemas na escola.

Por isso, ao notar os sintomas da perda de audição, é ideal que o professor procure uma unidade da Direito de Ouvir. Na maioria dos casos, os aparelhos auditivos possibilitam que o profissional ouça os sons novamente e continuem a exercer a profissão normalmente.

Então, se você é professor ou conhece alguém que está exposto aos ruídos ocupacionais, entre em contato com um fonoaudiólogo da Direito de Ouvir para uma avaliação auditiva e, se necessário, encontrar os aparelhos auditivos ideais para seu problema auditivo.