Você tem ou conhece alguém com perda auditiva?


Sim Não

Por Gabriela Bandoni

30 de novembro de 2015

O que considerar na compra do aparelho auditivo?

Testar é um ponto importante no processo de compra do aparelho auditivo

30 de novembro de 2015


O mercado está repleto de marcas de aparelhos auditivos. São tantas que é normal que pessoas com perda auditiva se sintam perdidas na hora de escolher qual a melhor prótese auditiva. Mas, mais do que levar em conta apenas os recursos, é preciso prestar atenção em diferenciais como o atendimento, o serviço de pós-venda e a assistência técnica. Antes de considerar o que comprar, você deve se perguntar, eu realmente sei como funciona o processo de adaptação?



Como funciona o processo de adaptação de um aparelho auditivo?

O paciente com perda auditiva é encaminhado pelo otorrinolaringologista para um fonoaudiólogo - este é o especialista responsável pela adaptação das próteses auditivas. O profissional analisa a perda auditiva e outros pontos importantes - como o estilo de vida do paciente - para determinar qual é o aparelho ideal para ele. Ao longo do processo, o fono deve acompanhar toda a adaptação. Por isso que não é recomendado comprar uma prótese na internet - há muitos sites chineses que oferecem amplificadores como se fossem aparelhos - sem acompanhamento.

O que considerar antes de comprar um aparelho auditivo?

Certo, você já sabe como funciona adaptação. Agora confira dicas do que levar em consideração antes de comprar um aparelho:

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Pesquise e converse com outros usuários - Se você quer testar uma marca de aparelho auditivo, pesquise sobre ela na internet e procure usuários que possam falar sobre a experiência que tiveram com essa empresa. Uma opinião sobre atendimento, pós-venda e assistência técnica pode poupá-lo de alguns problemas, mas no caso do uso do aparelho auditivo, é importante fazer um aviso. O fato de alguém ter tido uma ótima ou péssima experiência com um aparelho de uma marca não significa que você também terá. É que a perda auditiva pode variar de pessoa para pessoa.

Analise o atendimento – Preste atenção na maneira como a empresa trata seus pacientes. Eles marcam consultas por meio de outros canais que não telefone? – o Whatsapp, por exemplo, pode facilitar a vida de quem tem dificuldade para ouvir. Se a secretária não sabe conversar com você – berra ou não tem paciência – também pode ser outro mau sinal.

Não compre sem testar – A adaptação ao aparelho auditivo nem sempre é fácil. Por isso é fundamental que você possa testá-lo antes de comprar. Dê preferência para as empresas que lhe permitirem ficar, no mínimo, uma semana com eles. E teste em situações diferentes para saber como o aparelho se sai. A Direito de Ouvir, por exemplo, deixa os pacientes testarem grátis o aparelho auditivo por 7 dias em casa, no trabalho ou onde quiserem. Porque a satisfação do paciente é a prioridade da empresa! Saiba mais sobre o TESTE GRÁTIS!

Fique de olho na fonoaudióloga – A fonoaudióloga é fundamental no processo de adaptação. É ela quem vai ajudar você a encontrar o aparelho que mais se adapta à sua perda auditiva, suas necessidades e seu estilo de vida. Por isso, a fono precisa entender profundamente sobre o produto também para fazer a melhor regulagem.

A questão do preço – Muitas empresas atrelam a informação de preço a uma consulta presencial. Pesquise e informe-se antes. É claro que nem sempre os preços anunciados são os do aparelho que vai ser ideal para você. Mas é importante que você chegue na loja com as informações que procurou.

E lembre-se: Busque, teste, compare! É um direito seu!


Marcadores
Aparelhos auditivos