...
Por Gabriela Bandoni
Fono Especialista

22 de fevereiro de 2015


0 compartilhamentos
Nenhum comentário

Pesquisadores Estudam Misofonia, Aversão A Sons

Misofonia: Aversão A Determinados Sons, Ganha Estudo Na Inglaterra

Por Gabriela Bandoni
Fono Especialista

22 de fevereiro de 2015


Compartilhar

Misofonia
Pesquisadores britânicos descobriram por que algumas pessoas não toleram barulhos de mastigação ou respiração. É que seus cérebros estão naturalmente programados para ter uma resposta “radical” e excessiva nessas situações. Essa reação é provocada pela misofonia, que é a intolerância a certos sons.
Misofonia significa aversão a sons e ela pode estar relacionada a uma série de barulhos, desde a mastigação até o clique de uma caneta. A questão está muito além de não gostar do ruído. O misofonico sente um desconforto tão grande que pode beirar a raiva – além da alteração nervosa, ele pode sentir arritmia, falta de ar e outros sintomas físicos.

A aversão ao som não acontece por um problema auditivo em si, mas por uma alteração nas ondas cerebrais que causa hipersensibilidade. É como se o misofonico não conseguisse colocar sua atenção onde quisesse. Em contato com o som, ele não consegue parar de prestar atenção nele e, toda a situação, traz emoções fortes normalmente vinculadas à raiva.

COMO A MISOFONIA AFETA O CÉREBRO?


Para entender o que acontece, os cientistas escanearam o cérebro de 20 pessoas com misofonia e 22 sem o problema. Durante o estudo, os participantes ouviam diversos barulhos enquanto seus cérebros eram mapeados pela ressonância magnética.

Os barulhos eram de sons neutros, como a chuva, de sons que chamam a atenção, como gritos, e sons que normalmente afetam os misofonicos.

No caso das pessoas que sofrem com misofonia, o córtex insular anterior – a parte do cérebro que une nossas sensações com nossas emoções – ficou altamente ativa no momento dos sons que normalmente disparam a doença. Além disso, as conexões e interações cerebrais dos misofonicos se davam de forma totalmente diferente.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .



Ao ouvir os sons que funcionam com um gatilho para o distúrbio, os participantes misofonicos sentiam algo parecido com a raiva – inicialmente como uma resposta normal, mas posteriormente como uma resposta exagerada.

TRATAMENTO PARA MISOFONIA?


Além do diagnóstico complicado – a misofonia é geralmente confundida com outros transtornos e, por isso, tem um diagnóstico difícil, o problema não tem tratamentos específicos. Muitos pacientes, no entanto, encontram na terapia uma forma de driblar seus incômodos.

Por ser considerado um problema relativamente novo, não se tem dados sobre o quanto ele afeta a população em geral. Com os estudos sobre o funcionamento cerebral de quem sofre misofonia, os pesquisadores esperam entender melhor o distúrbio e encontrar formas de oferecer tratamentos para eles.