Por Direito de Ouvir

31 de maio de 2021

Entenda a Hipersensibilidade Auditiva

Você sabia que 10% da população sofre de sensibilidade auditiva?

31 de maio de 2021


A hipersensibilidade auditiva manifesta-se como uma sensação incômoda ao ouvir variados sons do ambiente.

Nesse caso, a pessoa não consegue tolerar sons comuns do dia-a-dia o que gera falta de concentração, isolamento social, dor de cabeça, insônia, irritação, zumbido e pode deixar a pessoa deprimida.

Essa sensibilidade aos sons que, para maioria das pessoas, são barulhos imperceptíveis, torna-se um incômodo para quem possui tal condição, fazendo com que tais pessoas se exponham cada vez menos, a fim de evitar tanto desconforto aos ouvidos.

Um indivíduo que foi acometido da hipersensibilidade auditiva possui uma audição normal, porém o quadro poderá evoluir para uma perda auditiva à medida que a exposição sonora aumenta.


 Tipos de Hipersensibilidade

Pode ser dividida em três tipos: Hiperacusia, Misofonia e Fonofobia.

Hiperacusia: é a intolerância a sons de alta intensidade, que se tornam perturbadores para algumas pessoas, independente da idade da hiperacusia é a alta exposição ao ruído.

Misofonia: é o incômodo com sons repetitivos, gerando sofrimento na pessoa ao ouvir barulhos de mastigação, respiração, pingo de água e batuques e digitação. Quem sofre deste distúrbio se incomoda até mesmo com sons baixos porque o problema está na repetição dos sons, deixando a pessoa desconcentrada e irritada.

Fonofobia: é uma alteração psicológica relacionada com o receio que a pessoa tem de se expor a sons que podem prejudicar sua audição, apresenta-se acompanhada de ansiedade, palpitações no coração, transpiração excessiva e boca seca devido ao pavor em ouvir ruídos altos.

Para diagnosticar a hipersensibilidade auditiva, em alguns casos, é necessário a realização da audiometria para que seja identificado o menor nível de incômodo com ruídos, sendo testado em várias frequências.

Além disso, para detecção do problema, por vezes é necessária avaliação clínica, exames neurofisiológicos e de sangue.

Tratamentos

Existem tratamentos para a hipersensibilidade auditiva e estes dependerão da causa, podendo ser: medicamentoso, terapia cognitivo comportamental ou através de terapias sonoras.

O tratamento medicamentoso é indicado para alívio das dores, irritabilidade e controle da ansiedade.

A psicoterapia também é indicada, nela o paciente vai aprender a treinar o cérebro a mudar o foco mediante algum som perturbador e a lidar com os ruídos sem sofrimento.

O neurofeedback é uma ferramenta muito utilizada no tratamento da hipersensibilidade auditiva, seu objetivo é melhorar o funcionamento do cérebro por meio da neuromodulação.

Além disso, o tratamento pode ser através das terapias sonoras, onde o profissional fonoaudiólogo poderá fazer uma reabilitação acústica por meio do uso do aparelho auditivo.

Neste caso, a função do aparelho auditivo é emitir uma frequência sonora que irá abafar certos ruídos e tornar mais tolerável a hiperacusia.

Outro recurso seria a dessensibilização auditiva, em que é apresentado diariamente ao paciente sons suaves do ambiente, melhorando o desconforto auditivo.

Independente do motivo, o indicado é buscar tratamento para hipersensibilidade auditiva. Procure o médico otorrinolaringologista para examinar seu ouvido e para que não haja agravamento do caso.

Mediante ao tratamento é possível construir qualidade de vida ter controle dos sons que incomodavam e viver normalmente.

Fonoaudióloga Cíntia Felício de Melo
CRFª: 2- 147831


Marcadores
Audição
Nós usamos seus dados para analisar e personalizar nossos anúncios e serviços durante sua navegação em nossa plataforma. Ao continuar navegando pelo site Direito de Ouvir você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las