Exercícios físicos previnem perda auditiva

Atividades contribuem para a prevenção da perda auditiva

Que os exercícios físicos ajudam a manter a boa forma e fazem bem para a saúde ninguém discute. Mas o que muitas pessoas não sabem é que as atividades físicas também podem contribuir para a prevenção da perda auditiva relacionada com a idade, a chamada presbiacusia.

A relação positiva entre os exercícios físicos e a saúde auditiva foi revelada por uma pesquisa da Universidade da Flórida. Pesquisadores analisaram dois tipos de ratos: os que se exercitavam de alguma forma e os que eram “sedentários”. O estudo mostrou que, com o passar do tempo, os roedores que não praticavam atividades perderam importantes estruturas do sistema auditivo - células ciliadas e capilares estriados – em uma taxa muito mais elevada do que os ratinhos que se exercitavam.

Como consequência, a pesquisa identificou uma taxa de 20% de perda auditiva entre em ratos sedentários contra apenas 5% de perda em ratos fisicamente ativos.

Entenda por que a perda auditiva acontece com a idade

Especialistas estimam que a perda auditiva relacionada à idade afete cerca de 70% dos adultos com 70 anos ou mais. Ela acontece por uma questão natural: a perda das células ciliadas, os capilares estriados e o gânglio espiral no sistema coclear da orelha. Estas estruturas têm um papel fundamental na audição: as células ciliadas se movimentam com o som, os capilares estriados alimentam o sistema auditivo com oxigênio e gânglio espiral encaminha o som da cóclea para o cérebro.

Como funcionou a pesquisa

Para verificar como o exercício afeta estas estruturas, os pesquisadores dividiram os ratinhos dois grupos: os que tinham acesso a uma roda de corrida e ratos que não tinham esse acesso. Os ratos também foram alojados individualmente para que os pesquisadores pudessem acompanhar a “quilometragem” que fizeram em suas rodas.


Quando completaram 6 meses de idade – cerca de 25 anos humanos – os ratos atingiram o pico de seu regime de exercícios, correndo cerca de 7,6 milhas por dia. Ao completarem 24 meses – aproximadamente 60 anos humanos – a taxa de atividades caiu para 2,5 milhas por dia.

A inflamação que acontece com o passar dos anos prejudica os capilares e as células normalmente. Só que os exercícios físicos protegem contra essa inflamação. Prova disso é que os ratos corredores foram capazes de manter a maioria dos marcadores de inflamação para cerca de metade do grupo.

Cuidados ao se exercitar

Apesar de os exercícios físicos estarem relacionados à conservação da perda auditiva, alguns cuidados precisam ser tomados durante as atividades:

  • Se você gosta de malhar com fones de ouvido, abaixe o som. Com a oxigenação provocada pela circulação sanguínea, o ouvido fica mais sensível aos sons altos
  • O mesmo vale para o som da academia. Se você malha em um lugar barulhento, pode ter que abrir mão de protetor auricular
  • Para quem pratica natação, a dica é usar protetores ou secar bem o ouvido para evitar infecções
  • Faça exames periódicos para saber como anda sua saúde auditiva e geral
Continue lendo
Audição Perda auditiva Prevenção da perda auditiva

Mais do Blog

Audição6 meses atrás

Ouvido Entupido? Conheça as Principais Causas

Conhecido como autofonia, este problema pode acontecer por uma série de fatores

Perda auditiva5 meses atrás

Tímpano Perfurado? Quais os sintomas? Como tratar?

Entenda o que acontece quando a membrana do tímpano é perfurada

Doenças do ouvido, Prevenção da perda auditiva5 meses atrás

Perda Auditiva Neurossensorial: Causa e Tratamento

A perda auditiva neurossensorial pode ser unilateral ou bilateral, leve ou profunda

Prevenção da perda auditiva5 meses atrás

Como prevenir problemas auditivos e a surdez?

Muitos os fatores levam à surdez.Saiba como evitar problemas auditivos

Perda auditiva, Prevenção da perda auditiva5 meses atrás

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez

Campanha bsucaconscientizar as pessoas sobre a importância de cuidar da saúde auditiva

Curiosidades, Perda auditiva5 meses atrás

Síndrome de Usher causa surdez e cegueira

Doença genética associa a perda da audição com redução da visão