Você tem ou conhece alguém com perda auditiva?


Sim Não

Por Gabriela Bandoni

07 de março de 2014

Como se comunicar melhor com perda auditiva?

Confira dicas que podem ajudar você a se comunicar de uma maneira mais eficiente

07 de março de 2014


Pessoas com perda auditiva sabem que nem sempre é fácil se comunicar. Por mais que a tecnologia dos aparelhos auditivos tenha avançado, eles não conseguem reconstituir 100% a audição natural. Algumas estratégias, no entanto, podem ajudar pessoas com deficiência auditiva a se comunicar de uma maneira mais eficiente. Confira:


  • Seja direto. Conte as outras pessoas que possui perda auditiva e deixem-nas saber qual a melhor forma de comunicar-se com você (falar devagar, olhar para você enquanto fala, entre outras);
  • Deixe os barulhos de fundo no mínimo. Por exemplo, abaixe a TV ou o rádio, evite ventiladores ou água corrente durante as conversas;
  • Mova-se para mais perto do interlocutor. Em grandes grupos, tente posicionar-se ao centro. Em locais com muitas pessoas, como uma igreja ou palestras, sente-se na frente da sala;
  • Utilize equipamentos para suporte a audição se disponíveis;
  • Posicione-se de modo que possa ver o interlocutor. Ouça as palavras-chave do contexto. Normalmente não é necessário ouvir cada palavra para ouvir a conversa;
  • Ouça as inflexões da voz de quem fala. Uma inflexão crescente normalmente significa uma pergunta sendo feita. Peça às pessoas que se repitam caso não entenda o que foi dito.

Perda auditiva é comum

Estima-se que 5% da população brasileira possua deficiência auditiva. Na semana em que é comemorado o Dia Nacional do Surdo e do Deficiente Auditivo, a Direito de Ouvir faz um alerta: é fundamental buscar ajuda assim que a perda auditiva for constatada!

No Brasil, 9,7 milhões de pessoas – de acordo com o último censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, em 2010 – têm algum grau de perda auditiva. Deste total, cerca de 2 milhões possuem deficiência auditiva severa (1,7 milhões têm grande dificuldade para ouvir e 344,2 mil são surdos), e 7,5 milhões apresentam alguma dificuldade auditiva. No que se refere à idade, cerca de 1 milhão de deficientes auditivos são crianças e jovens até 19 anos.

Na maioria dos casos, a perda auditiva é "tratada" com o uso dos aparelhos auditivos. A adaptação às próteses requer paciência, pois com normalmente o paciente começará a captar sons que antes não ouvia e isso pode causar um estranhamento. Durante o processo de adaptação, é fundamental a realização de ajustes no dispositivo. Além disso, esta etapa também requer o apoio e a persistência familiar, ensina. Ações simples, como falar de frente para o paciente, não colocar a mão sobre o rosto e não falar rápido e alto ajudam muito nesta fase.

Não deixe sua saúde auditiva para depois. Teste um aparelho auditivo totalmente Grátis este mês na Direito de Ouvir!

Número de testes limitado a 250 por mês, restam .


Confira algumas dicas que podem facilitar a adaptação ao aparelho auditivo

  •  Comece a usar o aparelho gradualmente. Use-o em casa durante períodos curtos e vá aumentando conforme se sinta confortável;
  •  Acostume-se aos poucos. Não tenha pressa. É normal estranhar os sons;
  •  Quando estiver em casa, treine identificar os sons. O barulho do relógio, os passos dos moradores, a água na torneira, por exemplo;
  •  Pratique o reconhecimento da sua voz lendo alguma coisa em voz alta;
  • A medida que for se adaptando, amplie a conversação para mais pessoas. Preste atenção nos timbres de voz diferentes;
  • Se for assistir TV ou rádio, comece por ouvir programas com menos vozes.

Se sentir dor ou qualquer incômodo, procure sua fonoaudióloga.


Marcadores
Perda auditiva Artigos