Por Direito de Ouvir

04 de maio de 2021

Como melhorar nossas habilidades auditivas?

Exercícios com música ajudam a melhorar a audição

04 de maio de 2021


Sabe-se que a audição é um dos sentidos mais importantes para comunicação, portanto, precisa estar com todo sistema íntegro, pois, quanto mais estímulo receberemos, mais estaremos preparados para interagir com o mundo externo.

Essa capacidade está relacionada ao processamento auditivo e/ou desenvolvimento das habilidades auditivas.

O processamento auditivo é a capacidade que o cérebro tem de identificar a informação que chega ao ouvido.

Desde que nascemos o nosso cérebro tem as capacidades de:

• Localizar o som;
• Memorizar o som em sequências;
• Focar em um som e ignorar outro.

Desenvolvimento das Habilidades Auditivas

Você já deve ter pensado: “nossa como aquela pessoa é desatenta”, ou, “parece que ela não se concentra!”.

Essas dificuldades estão relacionadas a problemas no desenvolvimento das habilidades auditivas e isso pode ocorrer em qualquer idade, mesmo que você tenha uma audição normal.

Muitas vezes a desatenção, pode ocasionar um baixo desempenho suas atividades, escolares, em caso de crianças, e no trabalho, em caso de adultos, podendo muitas vezes levar a desmotivação, troca ou inversão de letras e a desorganização espacial, como também a dificuldade em compreender.

Exercícios para Melhorar Audição e o Processo de Aprendizagem

Para que as habilidades auditivas sejam refinadas é preciso que ocorra estímulos. Podemos fazer isso através da música.

A música estimula várias áreas do cérebro ao mesmo tempo, como por exemplo: percepção, atenção, memória, habilidades cognitivas, funções executivas, habilidades motoras e as novas respostas através da plasticidade neural.

Além do mais, a música trabalha ritmo, melodia, intervalos e a percepção auditiva. Consequentemente, os aspectos musicais que são trabalhados ajudam a melhorar a fala, leitura, emoções e sensação de bem-estar, ajudando ainda no desenvolvimento das habilidades auditivas envolvidas.

Para desenvolver a memória auditiva, você pode trabalhar com atividades que apresentem diversos sons, onde o indivíduo deve fechar os olhos e tentar adivinhar, ou até mesmo uma sequência de objetos com sons e perguntar qual foi a ordem.

Um outro exercício interessante é o teste de reconhecimento de vozes, onde, de olhos fechados, você toca uma pessoa e, partir disso, precisa reconhecê-la pela voz.

O processamento auditivo também pode ser trabalhado formalmente através de uma cabine para o desenvolvimento das habilidades auditivas e facilitando as estratégias de compensação.

Neste método são trabalhados consciência fonológica, atenção seletiva, escuta direcionada, memória, dessensibilização da fala com ruído, são utilizados vários exercícios para melhorar a audição e o processo de aprendizagem.

Habilidade Auditiva e Senescência

Devido às alterações sensoriais que ocorrem naturalmente, acontece a deficiência auditiva, motivada pelo processo de envelhecimento normal, chamada de Senescência ou Presbiacusia.

Essa privação sensorial faz com que o idoso diminua o seu contato social, ocorrendo muitas vezes um desgaste emocional, uma inteligibilidade na fala, dificuldade na compreensão em ambientes ruidosos, detecção de sons e alteração cognitiva na maioria dos casos.

Sabemos que a protetização precoce de AASI (Aparelho de Amplificação Sonora Individual), juntamente com a reabilitação através de estimulação com músicas, propicia melhora do desenvolvimento das habilidades auditivas e a autoestima desses idosos.

A entrada facilitada desses sons ativa a plasticidade neural devido à estimulação, trazendo respostas positivas e importantes para o idoso.

Muitas vezes os pacientes que usam AASI relatam dificuldade em se acostumar novamente com mundo sonoro. Estes pacientes, costumam ficar mais sensíveis a alguns sons e isto acontece pois não ouvimos apenas com a orelha, mas com o cérebro também.

O aparelho auditivo ele é um amplificador sonoro, a qualidade e compreensão está ligado ao cérebro, quando ocorre o treinamento para que o cérebro se acostume novamente aos sons, os pacientes se sentem muito mais confortáveis.

Podemos ver a importância dos exercícios com a música, processamento auditivo, memória auditiva, entre outros para a melhora na qualidade de vida das pessoas com problemas relacionados a audição.

São ações que podem ser feitas com qualquer idade, melhorando a comunicação em geral, e ajudam a saúde da sua audição, processo de aprendizagem e aprimora o desenvolvimento das habilidades auditivas.

A Audiologia é o ramo da Fonoaudiologia responsável por identificar e tratar os distúrbios da audição, portanto, se você precisa recorrer a terapias para melhorar suas habilidades auditivas ou até mesmo para fazer uso de um aparelho auditivo, procure um fonoaudiólogo de sua confiança.


Fonoaudióloga Alana Cristina Pereira de Moura
CRFª: 10.230


Marcadores
Curiosidades Audição
Nós usamos seus dados para analisar e personalizar nossos anúncios e serviços durante sua navegação em nossa plataforma. Ao continuar navegando pelo site Direito de Ouvir você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las