...
Por Gabriela Bandoni
Fono Especialista

21 de dezembro de 2017


0 compartilhamentos
Nenhum comentário
Por Gabriela Bandoni
Fono Especialista

21 de dezembro de 2017

Bebê ouve a voz da mãe pela primeira vez

A menina nasceu com deficiência auditiva, mas agora ouve graças a um aparelho



Os pais da pequena Charly não demoraram muito para notar que a filha tinha um problema de audição. Como a recém-nascida não respondia a sons, eles procuraram um médico para avaliar a situação. E suas suspeitas se confirmaram. A garotinha foi examinada e recebeu um aparelho auditivo que a fez conhecer a voz da própria mãe.


Os pais registraram o momento em que a bebê utilizou o aparelho pela primeira vez e a reação dela é uma graça! A criança parece não saber se ri ou se chora, e fica intercalando carinhas de emoção e felicidade. É uma fofura! Assista: clicando aqui https://www.youtube.com/watch?v=-_Q5kO4YXFs


Como identificar problema auditivo em crianças

Problemas auditivos podem aparecer em qualquer idade, a atenção dada ao assunto ainda durante a primeira infância até a pré-adolescência é importantíssimo. Segundo a fonoaudióloga e Diretora Técnica da Direito de Ouvir, Andréa Varalta Abrahão, quando a perda auditiva é detectada precocemente, a chance de um melhor desenvolvimento da criança com problemas auditivos é maior. A especialista comenta os principais aspectos a serem observados a cada fase da vida da criança:

Na primeira infância, o teste da orelhinha ou triagem auditiva neonatal oferece a chance de diagnóstico precoce da deficiência auditiva. “O teste, obrigatório desde 2010, é feito ainda na maternidade e colocar no ouvido do bebê um pequeno fone, acoplado a um computador, que emite um som de baixa frequência e mede as respostas dos ouvidos médios aos estímulos sonoros”, explica Abrahão.

Quando o diagnóstico é positivo, o bebê é encaminhado para o médico otorrinolaringologista, que irá orientar o tratamento para o problema. “Identificar o déficit auditivo na primeira idade significa assegurar a obtenção da fala, evitando o comprometimento do desenvolvimento social e emocional da criança.”

O exame é realizado pelo menos dois dias após o nascimento e entre o segundo e terceiro mês de vida do bebê. Dados da Academia Americana de Pediatria revelam que pelo menos um a três bebês a cada mil nascidos têm diagnosticada deficiência auditiva.

 Colaboração: Site Crescer