Categoria: Curiosidades.

 

A perda auditiva é uma deficiência na audição de pode ter diferentes graus e tipos. Entenda suas causas e tipos e como ela pode ser evitada.

Tipos de perda auditiva

Basicamente, existem duas categorias de perda auditiva: condutora, que envolve anomalias na transmissão do som nos ouvidos médio e externo e neurossensorial, envolvendo o ouvido interno. Geralmente a perda condutora pode ser corrigida. Já a neurossensorial é muito mais difícil de tratar.

A perda auditiva condutora pode acontecer, por exemplo, quando o cerume impede os sons de chegarem ao ouvido interno, onde são transformados em impulsos nervosos elétricos transmitidos para o cérebro. Ferimentos no tímpano e infecções do ouvido médio também podem causar perda de audição condutora.

Na perda neurossensorial há falha do nervo auditivo. Portanto, mesmo que as vibrações sonoras atinjam o ouvido interno, elas não são enviadas como impulsos para o cérebro. Esse tipo de perda auditiva resulta em danos no nervo auditivo. Eles podem ser causados por envelhecimento, infecções virais, barulhos muito altos, efeitos colaterais de medicamentos etc.

Graus da perda auditiva

O diagnóstico da perda auditiva é feito por meio de um exame chamado audiometria. Para se fazer o diagnóstica da perda auditiva, os especialistas analisam as intensidades sonoras que nós conseguimos ouvir. Pessoas que ouvem em torno de 20 decibéis têm audição considerada normal. A partir daí, são definidos alguns graus de perda auditiva. Confira:

  •  NORMAL (0 A 20 dB) – Ouve todos os sons normalmente
  •  LEVE (21 A 40 dB) – Quando uma pessoa tem dificuldade para entender a fala e alguns sons como o canto dos passarinhos
  •  MODERADA (41 A 70 dB) – Neste caso, há dificuldade para ouvir o latir do cachorro, bebê chorando, aspirador de pó e outros ruídos mais altos
  • SEVERA (71 A 90 dB) – Pessoas com este tipo de perda auditiva não conseguem ouvir o o toque do telefone, compreender a fala, por exemplo
  •  PROFUNDA ( > 91 dB) –  Já as pessoas com perda auditiva profunda não ouvem sons considerados muito altos como uma máquina de cortar grama, um caminhão, a turbina de um avião

Como evitar a perda auditiva?

Há várias formas de se evitar a deficiência auditiva. Para as mulheres, o alerta é tomar a vacina contra a rubéola, de preferência antes da adolescência, para que durante a gravidez esteja protegida contra a doença. Se a gestante tiver contato com rubéola nos primeiros três meses de gravidez, o bebê pode nascer surdo. Saiba mais como proteger a saúde auditiva das crianças aqui.

A criança deve receber todas as vacinas contra as doenças infantis como sarampo e outras para prevenir-se contra possíveis deficiências.

Também devem ser evitados objetos utilizados para “limpar” os ouvidos, como grampos, palitos ou outros pontiagudos. Outro cuidado a ser observado é para a criança não introduzir nada nos ouvidos, correndo-se o risco de causar perfurações no tímpano. Se isto ocorrer, o objeto não deve ser retirado em casa. A vítima deve procurar atendimento médico.

A dica é fazer audiometrias anuais – para quem tem histórico de perda auditiva na família, principalmente – para checar se existem alterações na audição ou perdas auditivas.