Categoria: Perda Auditiva.

aids1

 

 

Você sabia que crianças e jovens com HIV têm maior prevalência de perda auditiva do que a população que não é portadora do vírus? O dado surpreendente é de um estudo realizado pela Faculdade de Saúde Pública, da USP (Universidade de São Paulo).

Como o HIV pode causar perda auditiva

A pesquisa, conduzida pela fonoaudióloga Aline Medeiros da Silva, indica que são três os principais fatores que podem levar os soropositivos à perda auditiva: o próprio vírus da AIDS, as infecções decorrentes da doença e até alguns tipos de medicamentos utilizados para controlá-la.

Por intermédio do exame audiométrico em 106 jovens, com idade entre 5 e 19 anos, na cidade de São Paulo, observou-se que a prevalência de perda auditiva foi de 59,4% pela classificação ASHA, que é bastante rigorosa e considera pequenas alterações como perda auditiva, e 35,8% pela BIAP, classificação mais prática e menos rigorosa. “Na população que não possui a doença os dados não são padronizados, mas a prevalência varia de 2% a 24%”, diz a pesquisadora Aline.

O estudo identificou também que a ocorrência de otite média supurada — infecção no ouvido com saída de líquido (pus) — é um fator de risco para a perda auditiva. Na amostra, observou-se que quem já havia tido este tipo de otite teve perda auditiva, tanto pela classificação ASHA quanto pela BIAP.

Alerta para os riscos

O estudo é um alerta para a necessidade de acompanhamentos específicos para que a saúde auditiva dos jovens portadores de HIV não seja comprometida. Prevenção e cuidados que são reforçados pelo Dia Mundial da Luta Contra a AIDS, celebrado no dia 1º de Dezembro.

Criada pela ONU (Organização das Nações Unidas), a data tem como objetivo reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo vírus HIV.

Uma curiosidade interessante sobre o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS está relacionada ao laço vermelho, que se tornou seu principal símbolo. Um grupo de artistas da Visual AIDS, de Nova York, criou o laço para homenagear amigos e colegas que haviam morrido ou estavam morrendo da doença.

Escolhido por causa de sua ligação ao sangue e à ideia de paixão, o emblema ganhou destaque após ser usado pelo ator Jeremy Irons, na cerimônia de entrega do prêmio Tony Awards, em 1991.

Zumbido pode estar relacionado ao HIV

Outro estudo internacional também fez a ligação entre o zumbido no ouvido e o vírus HIV. De acordo com essa pesquisa, casos de zumbido podem ser mais difíceis de ser controlados em pessoas portadoras da síndrome de imunodeficiência.

Isso acontece porque, além de afetar o sistema imunológico, o controle da doença exige o uso de uma série de medicamentos que podem provocar efeitos colaterais, afetando a audição e intensificando problemas como o zumbido.

Especialistas recomendam que os portadores do vírus façam um acompanhamento multidisciplinar – com especialistas não só da imunologia, mas também com otorrinos e fonoaudiólogos – para monitorar a saúde auditiva. Exames auditivos importantes, como a audiometria, podem ser feitos com frequência para ajudar neste processo.