Categoria: Prevenção da Perda Auditiva.

limpar-ouvido-crianca-hastes-flexiveis

 

Conheça os riscos de limpar o ouvido da criança com hastes flexíveis e aprenda qual é o jeito correto de fazer a higiene com dicas de otorrinolaringologistas.Limpar o ouvido da criança com hastes flexíveis e sem orientação médica pode comprometer a audição e causar perfuração do tímpano. Por isso, é preciso ficar atento no momento da higienização para evitar problemas futuros. “A limpeza malfeita pode empurrar a cera para o interior do ouvido, provocando dor, inchaço e até surdez”, diz Fayez Bahmad Jr, otorrinolaringologista e Presidente da Associação de Otorrinolaringologistas do Distrito Federal.

Hastes Flexíveis

Deixe de lado as hastes flexíveis, pois elas removem por completo a cera, o que não é recomendado. “Eles podem causar traumatismo, além de ocasionar a retirada da cera, que serve como proteção natural dos ouvidos. Prefira a limpeza com toalha macia”, afirma José Stênio, otorrino do Hospital Alvorada Brasília.

Exames auditivos

A Associação Brasileira de Otologia recomenda que os pais levem os pequenos anualmente ao médico para realizar exames de audição. “Nos primeiros meses de vida é obrigatório o teste da orelhinha para avaliar a saúde auditiva. Quanto à higienização, deve ser orientada pelo pediatra a cada consulta de rotina”, diz Stênio.

Como limpar o ouvido da criança?

Movimentos delicados são essenciais para a higienização. “Os pais devem realizar a limpeza da orelha externa com água e sabonete, da mesma forma como lavamos nosso rosto. A água e o sabonete têm o efeito de dissolver o excesso de cerume no canal auditivo e impedir rolhas de cera. Para secar, toalha macia”, afirma Bahmad.

Inflamações e dores de ouvido

Caso a criança sinta dor ou coceira no ouvido é preciso buscar auxílio médico com urgência. “Em caso de inflamação deve-se procurar um médico otorrinolaringologista. Evite usar medicações de pingar no ouvido e a automedicação com antibióticos. Tome cuidado também com água no ouvido doente e medicação analgésica, como paracetamol ou dipirona, até o contato rápido com o médico”, diz Stênio.

Os cuidados devem ser redobrados porque, por uma questão fisiológica, as crianças são mais propensas a ter infecções de ouvido que os adultos. Isso acontece porque bactérias presentes no nariz e na garganta podem parar nas tubas auditiva quando as crianças bocejam ou engolem.

Quando a tuba está inchada por conta de um resfriado ou alergia – o que é muito comum na infância – não consegue escoar secreções, o que torna o ambiente ainda mais propício para infecções de ouvido. Outro problema é que as tubas das crianças são mais curtas que a dos adultos, facilitando ainda mais esse processo.Os bebês que mamam deitados também têm mais chances de desenvolver o problema por conta dessa ligação – por isso é importante evitar essa posição durante a amamentação. Descubra mais sobre isso aqui.

Esqueça as soluções caseiras

Basta uma busca na internet, e até em algumas farmácias para encontrar todo tipo de mecanismo para limpar ouvidos. De bambu a velas para a limpeza e até modernos aparelhos importados. “Alguns povos achavam que introduzir urina ou leite no conduto auditivo externo seria também um meio de resolver a dor de ouvido. Mas graças ao avanço da ciência, todas essas técnicas entraram em desuso, e hoje sabemos que as antigas maneiras de se higienizar as orelhas geravam um aumento do risco de perfuração do tímpano e outras consequências maléficas”, diz Bahmad.

Vale lembrar que apenas um otorrinolaringologista está capacitado a de fato “limpar” o ouvido e orientá-lo neste sentido.Esqueça essas soluções caseiras que podem piorar os problemas auditivos.