Hipotireoidismo pode causar zumbido

A disfunção na glândula tireoide também pode estar ligada à perda auditiva

Quando não tratado, o hipotireoidismo causa, nas crianças, atraso grave do crescimento e problemas mentais. Se diagnosticado durante a vida adulta, leva à depressão generalizada das funções orgânicas: metabolismo lento (intolerância ao frio, desânimo, dificuldade de concentração e ganho de peso), alterações dermatológicas, alterações cardiovasculares e músculo-esqueléticas, alterações reprodutivas, gastrointestinais e neurológicas.

Não existe prevenção, a não ser a triagem neonatal com o teste do pezinho para detecção do hipotireoidismo congênito. Mas existem exames simples para o diagnóstico e o tratamento com hormônio tireoidiano sintético é seguro e eficaz uma vez que a dose adequada é estabelecida.

Hipotireoidismo e zumbido

A diminuição da acuidade auditiva tem sido associada à disfunção da glândula tireoide e descrita por diversos autores e os sintomas auditivos podem ocorrer isoladamente ou associados à vertigem e ao zumbido.

Os mecanismos fisiopatológicos da perda auditiva no hipotireoidismo não estão totalmente estabelecidos. Sabe-se que nesta desordem hormonal, há redução na produção de energia celular, comprometendo a microcirculação e, consequentemente a oxigenação e o metabolismo de órgãos envolvidos. As estruturas da orelha interna também são afetadas, como a estria vascular e o Órgão de Corti. Os hormônios tireoidianos controlam a síntese de proteínas, a produção de mielina e das enzimas e o nível dos lipídios no sistema nervoso central. Além disso, o T4, por si só, pode agir como um neurotransmissor. Assim, acredita-se que no hipotireoidismo, a deficiência auditiva possa ter origem na cóclea, retrococlear e/ou nas vias auditivas centrais.

Hipoacusia e vertigem

Os sintomas cócleo-vestibulares são mais frequentes em pacientes com hipotireoidismo, salientando-se o zumbido, a hipoacusia e a vertigem. Pacientes com hipotireoidismo podem apresentar maior número de alterações nas avaliações audiométricas e nos testes eletrofisiológicos (PEATE e EOAT). Assim como, a perda auditiva do tipo neurossensorial, de leve a moderada intensidade e bilateral.


Outros distúrbios metabólicos também podem estar relacionados com zumbido. Além do hipotireoidismo,  hiperinsulinemia, hipoglicemia, hipertireoidismo sã o alguns destes problemas.

Como é o tratamento para o hipotireoidismo?

O tratamento no hipotireoidismo é feito com a L-Tiroxina, também chamada de levotiroxina, uma reposição hormonal sintética e exatamente igual à  tiroxina produzida pela glândula, podendo ser considerada natural. As necessidades do organismo não são constantes, podendo variar com a idade, peso e situação clínica. Exemplo: Aumentam na gestação, necessitando elevação gradual da dose.

O T3 é formado pela metabolização do T4 nos tecidos, não sendo necessário tomá-lo. Vai ser detectado e medido nas dosagens. É usado apenas nos raros casos de déficit da enzima periférica que converte o T4 em T3. Devem ser feitos  exames clínicos e laboratoriais periódicos para manter a dose bem ajustada.

Fonte: www.patriciaantoniazi.blogspot.com.br

Continue lendo
Perda auditiva Zumbido

Mais do Blog

Perda auditiva8 meses atrás

Tímpano Perfurado? Quais os sintomas? Como tratar?

Entenda o que acontece quando a membrana do tímpano é perfurada

Perda auditiva, Prevenção da perda auditiva8 meses atrás

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez

Campanha bsucaconscientizar as pessoas sobre a importância de cuidar da saúde auditiva

Curiosidades, Perda auditiva8 meses atrás

Síndrome de Usher causa surdez e cegueira

Doença genética associa a perda da audição com redução da visão

Zumbido8 meses atrás

As causas do zumbido e tontura

Problemas causam dificuldade de concentração, insônia, ansiedade e depressão

Aparelhos auditivos, Perda auditiva8 meses atrás

Como saber se você precisa usar aparelho auditivo?

Conheça os sinais que podem indicar que uma pessoa sofre de perda auditiva

Zumbido8 meses atrás

Zumbido no ouvido pode causar surdez

Zumbido pode prejudicar a capacidade de concentração e o sono