Categoria: Aparelho Auditivo.

Aparelho Auditivo Aparelhos Auditivos Rejeicao causada pela perda de audicao pode desencadear depressu00e3o


Assim como outras doenças, a perda auditiva não escolhe idade, nem sexo e já atinge mais de 10 milhões de brasileiros. 

Seja jovem ou idoso, a constatação de que não se escuta corretamente é sempre ruim. Assim como outras doenças, a perda auditiva não escolhe idade, nem sexo e já atinge mais de 10 milhões de brasileiros, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mas, o que geralmente as pessoas não percebem é que a perda auditiva prejudica, também, o aspecto psicológico e social. Há casos em que os pacientes demoram anos para procurar ajuda especializada e chegam ao consultório com depressão profunda. A privação sensorial causada pela perda auditiva gera um isolamento social devastador, além da diminuição significativa das atividades cerebrais, tais como: atenção, entendimento de fala e memória que, ainda, facilitam o aparecimento das demências.

Auxílio médico

A procura por um especialista deve ser feita, imediatamente, ao perceber sinais da doença, pois o profissional poderá ajudar o deficiente auditivo a levar uma vida normal. Ainda hoje, muitas pessoas resistem ao uso do aparelho auditivo e levam, em média, de 7 a 10 anos para procurar ajuda médica, deixando agravar o quadro e contribuindo para o surgimento de outros problemas relacionados.

O preconceito em relação à deficiência auditiva, na maioria das vezes, vem do próprio paciente, por isso, é preciso trabalhar a autoestima, fortalecendo e ampliando as possibilidades de um novo começo. A família é fundamental no processo de aceitação e recuperação, pois a pessoa passa a se isolar, primeiramente, da vida social e, depois, dos familiares. Alguns dos sintomas apresentados na surdez são a agressividade e a irritabilidade excessiva.

Dicas para vencer a vergonha de usar aparelhos auditivos

Coloque os prós na balança –  O primeiro passo é pensar por qual razão os aparelhos auditivos são importantes para você. Faça uma lista do que eles trazem do bom para a sua vida, como refletem no seu relacionamento com as pessoas que convivem com você – sim, porque a perda auditiva tem um impacto para todos os que te cercam. Com todos estes pontos em mãos, reflita: tudo isso é mais importante do que o que as pessoas podem pensar sobre o seu aparelho auditivo?  É claro que não!

Deixe o aparelho com a sua cara –  Tenha em mente que a surdez pode chamar mais atenção do que os aparelhos auditivos. Você se incomoda com a aparência deles? Dê só uma olhada nestes exemplos que a blogueira Paula Pfeifer, o Crônicas da Surdez, reunião de pessoas que customizam suas próteses e implantes cocleares e as exibem por aí com muito orgulho >> http://bit.ly/1LNTW6b. Uma mãe britânica também ficou famosa ao customizar os aparelhos de seu filho com imagens de heróis. A ideia deu tão certo que acabou se tornando um negócio. Dê só uma olhada para se inspirar: http://bit.ly/1HaSzrQ.

Dê o primeiro passo –  Nem sempre é fácil mudar um comportamento antigo. Mas com pequenos passos é possível dar adeus à vergonha. Que tal começar usando o aparelho progressivamente? Comece pelas situações que incomodam menos e, aos poucos, vá ampliando o grau de dificuldade. Não se sinta mal por sentir medo ou vergonha. Encontre alguém para dividir estes sentimentos e que não deixe você desistir. Não desistir é fundamental.