Categoria: Perda Auditiva.

F

 

Carteiras arrastando, conversas altas entre os alunos, sinais que tocam constantemente. O ambiente ruidoso das escolas contribui – e muito – para que os professores sofram mais perdas auditivas que outros profissionais.

Um estudo realizado pela Wakefield Research for EPIC Hearing Healthcare apontou que 15% dos docentes americanos foram diagnosticados com perdas auditivas. Entre demais profissionais, esse número não ultrapassou 12%.

O problema afeta principalmente professores jovens. A taxa de perda auditiva foi de 26% entre os professores com idade entre 18 e 44 anos – e 17% para outros profissionais desta mesma faixa etária.  Outro dado alarmante que é que 27% dos professores têm suspeitas de problemas de audição mas nunca procuraram tratamento.

“Infelizmente, a pesquisa mostra que os professores estão sentindo o peso da sua perda auditiva não tratada e isso os afeta no trabalho de várias maneiras”, disse Brad Volkmer, presidente e CEO do EPIC Hearing Healthcare.

Dos professores com suspeita de perda auditiva, mais de metade disseram que muitas vezes pedem para as pessoas repetirem o que disseram. Um terço deles também afirmou que muitas vezes não entende o que está sendo dito, e um quarto disse que frequentemente se sente estressado ​​ou cansado depois de ter que falar ou ouvir por períodos prolongados.

Um estudo recente do Centro Dinamarquês de Ambiente Educacional também indicou que climas internos ruidosos podem resultar em menor satisfação no trabalho, aumento da fadiga, cansaço e falta de energia e motivação entre os professores.

Preconceito e altos custos

“Há muitas razões que levam os professores a não procurarem tratamento – desde a considerarem isso como um sinal de envelhecimento até  preocupações financeiras sobre o surpreendentemente alto custo da prótese auditiva”, disse Volkmer.

Segundo os órgãos americanos de saúde, os custos de ajuda para problemas de audição são de, em média, US $ 1.500, mas podem chegar a uma faixa entre US $ 3.000 a US $ 5.000. “Nossa pesquisa mostra também que os professores são mais sensíveis ao potencial estigma do local de trabalho. Mais de metade dos professores disseram que se preocupariam se o seu empregador suspeitasse ou soubesse que eles tinham perda auditiva”.

Importância do tratamento precoce

Apesar de serem os principais afetados pelas perdas auditivas, a dificuldade em procurar tratamento rápido afeta profissionais de todas as áreas. Muitas pessoas de todas as profissões simplesmente não entendem a importância de começar o tratamento imediato para a perda, outra barreira para a procura de cuidados de audição.

Infelizmente, quando as pessoas não tratam a perda de audição tendem a fazer coisas como aumentar a televisão, o que pode piorar o problema. Além disso, a dificuldade de comunicação pode levar ao isolamento social e desligamento, o que pode predispor ainda mais as pessoas a evitar a busca de tratamento. A intervenção precoce e o uso de aparelhos auditivos para restaurar a audição podem impedir que esse declínio.