Categoria: Perda Auditiva, Zumbido.

zumbido-está-relacionado-a-acidentes-de-trabalho

 

Pessoas com histórico de zumbido no ouvido e perda auditiva de alta frequência são mais propensos a se envolverem em acidente de trabalho, segundo estudo realizado pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Os pesquisadores analisaram mais de nove mil e novecentos operários e funcionários de manutenção de em seis fábricas de alumínio, entre 2003 a 2008. A exposição a ruídos do trabalho foi utilizada pelos pesquisadores como parte do projeto.

O risco de sofrer um acidente foi 25% maior entre trabalhadores com zumbido e perda auditiva de alta frequência. A perda de baixa frequência associada ao tinido apresentou menos riscos de lesões graves, mas também estava relacionada a danos.

Teste de audição e protetor auditivo

A pesquisa alerta para a importância de monitorar a audição dos trabalhadores por meio de exames e, em muitos casos, estimular o uso de protetores.

Não são apenas os trabalhadores do segmento de alumínio que podem sofrer de problemas auditivos.

Um estudo alemão mostrou que músicos profissionais têm quatro vezes mais chance de sofrer de perda auditiva induzida por ruído.  Pesquisadores da Universidade de Bremen e do Instituto de Pesquisa e Prevenção Epidemiológica  examinaram 284 mil casos de perda auditiva – dos quais 238 envolviam músicos profissionais  – durante quatro anos.

Eles descobriram que, além de serem mais propensos a desenvolverem perda auditiva induzida por ruído, os músicos profissionais tinham 57% de chance de desenvolver zumbido.

Entre as medidas de prevenção sugeridas pelos estudiosos para os músicos estão o uso de protetores auditivos e educação sobre a importância de evitar o contato prolongado com barulhos altos.

Saiba mais sobre o zumbido

Você sabia que o zumbido acontece quando o ouvido passa a enviar impulsos sem que haja uma fonte sonora que os envie. Por ser constante, esse barulho pode afetar o sono, a concentração e o equilíbrio emocional. Os principais barulhos associados ao zumbido são apito, panela de pressão, cigarra, cachoeira, abelha, sirene, motor…

Existem mais de 200 causas relacionadas ao zumbido, mas as principais são:

  • problemas originados no sistema auditivo
  • alterações no metabolismo e nos hormônios
  • problemas cardiovasculares
  • doenças neurológicas
  • distúrbios psiquiátricos
  • problemas odontológicos
  • alterações musculares da região de cabeça e pescoço

Como é o tratamento?

O tratamento depende da causa do zumbido. Como ela pode estar relacionada a mais de um problema, normalmente o tratamento é multidisciplinar e envolve: avaliação do sistema auditivo, por meio de exames como audiometria e imitanciometria, exames laboratoriais (hemograma, perfil lipídico, estudo hormonal, etc). Com base nisso,  os especialistas tratam a causa (com diietas para alterações do metabolismo do açúcar ou de gorduras; restrição de cafeína nos casos de abuso de cafeína; readequação dos hormônios tireoideanos ; reposição de vitaminas e zinco para os que têm deficiência destes elementos; avaliação e tratamento com o fisioterapeuta se indicado; tratamento da ariticulação têmporomandibular) e o zumbido.

Mas o zumbido tem cura? Algumas causas de zumbido são curáveis, outras são controláveis, outras são irreversíveis, mas na maioria dos casos, os incômodos do zumbido podem ser amenizados. Fundamental é procurar ajuda o mais rápido possível para que o impacto do problema seja amenizado. Tire suas dúvidas sobre zumbido.

 

Leia mais:

Confira outras dicas da Direito de Ouvir para evitar perdas auditivas.

Professores estão entre os profissionais que mais sofrem de perda auditiva.

.