Categoria: Perda Auditiva.

Aparelho Auditivo Aparelhos Auditivos Otite pode causar a perda de audiu00e7u00e3o

Otite é o nome dado para a inflamação de ouvido, que é dividido basicamente em três partes: orelha externa, média e interna. As duas primeiras são partes mecânicas da audição e a última é parte neurológica, esta tem intercorrências mais raras.

A otite externa é mais comum no verão e é conhecida como “inflamação do nadador”, atingindo pessoas de todas as idades. A doença se caracteriza pela inflamação da pele existente antes do tímpano, causada pelo acúmulo de água no canal do ouvido. E como nesse período as pessoas estão mais expostas, esse tipo de doença é muito mais frequente.

Segundo Alfredo Lara, otorrinolaringologista do Hospital CEMA, a otite se caracteriza por três sintomas básicos. “Dor de ouvido, diminuição da audição e sensação de ouvido cheio. Em alguns casos, os pacientes também podem apresentar secreção, febre, zumbido, queda do estado geral. Mas eles não são frequentes”, afirma o especialista.

Crianças, na faixa dos dois aos quatro anos, costumam apresentar otite média que geralmente é viral, mas dependendo do caso pode ser bacteriana. Na fase aguda da doença, se não houver o tratamento adequado o paciente pode perder totalmente a audição.

Adulto ou criança, no verão ou no inverno a recomendação é uma só: apresentando qualquer um dos sintomas o ideal é sempre procurar um especialista. “Não cuidar ou tentar tratar a otite em casa pode até agravar o problema”, ressalta o médico do CEMA.

Tipos de otite externa

O termo “otite externa” é genérico e diz respeito a qualquer doença que cause inflamação ou infecção do conduto auditivo externo e no pavilhão auricular. Conheça alguns tipos:

Otite externa aguda difusa

Conhecida como otite do nadador, ela é caracterizada por um processo infeccioso e inflamatório da orelha externa. Pessoas com este tipo otite sentem dor intensa irradiada para a região das têmporas e mandíbula, sensibilidade na orelha, coceira, perda auditiva condutiva e acúmulo de secreções no conduto. A infecção normalmente ocorre quando há uma mudança do pH, que passa de ácido (4 a 5) normal para alcalino, permitindo o crescimento de micro-organismos.

Normalmente essa alteração acontece após lesões provocadas durante a retirada de cerume, lavagem, traumatismo ou após banhos de mar, piscina ou rio, uso de sabonetes e detergentes que destroem a capa de gordura superficial ou pós radioterapia. O tratamento consiste na limpeza do conduto auditivo externo, uso de anti-inflamatórios e medicamentos otológicos que são aplicados no conduto para inibir o crescimento de bactérias.

Otite externa aguda localizada (furunculose)

Este tipo de otite é localizado – normalmente está no seu 1/3 externo, onde há glândulas sebáceas e folículos pilosos, e é provocada por uma obstrução das unidades pilossebáceas (pelo + glândula sebácea) com infecção secundária. Os sintomas são: coceira, dor, inchaço, vermelhidão. A infecção deve ser drenada e receitados medicamentos antibióticos e tópicos. Analgésicos também podem ser receitados para reduzir a dor.

Otite externa crônica

Normalmente acontece quando os processos infecciosos e inflamatórios não são tratados adequadamente. Seus sintomas são coceira intensa, desconforto, ressecamento da pele do conduto auditivo externo e hipoacusia. Geralmente é indolor. O tratamento é local e o objetivo é restaurar a pele normal do conduto auditivo, promovendo a produção de cerume.

Otite externa granulosa

Ocorre quando há exsudação (eliminação de fluidos) e pus no terço interno do conduto auditivo externo. Pode ocorrer em pacientes que não trataram adequadamente um episódio prévio de otite externa. O quadro clínico inclui hipoacusia, otorréia purulenta e prurido leve. À otoscopia observam-se placas granulosas sésseis ou massa granulosa pedunculada.

Com informações parciais de : www.segs.com.br e Fundação Otorrinolaringologia