Categoria: Aparelho Auditivo, Audição, Imprensa, Perda Auditiva, Prevenção da Perda Auditiva.

direito-de - ouvir - goiania - inauguração

 

 

A Direito de Ouvir Amplifon  acaba de chegar a Goiânia para comercializar aparelhos auditivos de altíssima qualidade e também prestar serviços aos pacientes, já que conta com um fonoaudiólogo para os atendimentos. “É fundamental que o paciente com deficiência auditiva tenha o acompanhamento do médico otorrino e de um fonoaudiólogo especializado”, alerta Andréa Varalta Abrahão, fonoaudióloga e Diretora Técnica da Direito de Ouvir.

A profissional comenta que, apesar de a surdez atingir cerca de 15% dos brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde, muitas pessoas ainda não sabem que existem alternativas bastante eficazes contra o problema. “Sempre digo que, entre 2005 e 2013, a medicina voltada para a audição evoluiu mais do que entre o século XIX e o início dos anos 2000. Por isso, a adaptação hoje é mais fácil e a qualidade de vida das pessoas com problemas auditivos aumenta muito depois da adoção de um aparelho adequado”.

Causas da surdez

“Os problemas auditivos podem ter causas congênitas, ser adquiridos pela superexposição a ruídos ou mesmo surgirem em decorrência do avanço da idade”, explica Andréa.

Apesar de a presbiacusia – perda auditiva decorrente da idade – ser a principal causa de surdez, cerca de 30 a 35% das perdas auditivas em adultos são fruto da exposição a fontes de ruídos e sons intensos. “O uso de fones de ouvido com música alta, a poluição sonora e até o barulho do trânsito em grandes cidades podem provocar surdez”, alerta a fonoaudióloga. Já problemas como rubéola na gravidez, prematuridade, caxumba, hipertrofia da adenóide ou da amídala e otite são as principais causas de surdez em crianças. A fonoaudióloga explica que, além dessas, a otosclerose – patologia genética que acomete jovens adultos – também pode levar à perda auditiva.

“Colocar um aparelho auditivo precocemente é, hoje, a melhor saída. Isso porque, quanto mais tempo uma pessoa é privada dos sons, maiores as chances de esquecer-se dele, dificultando a adaptação ao aparelho auditivo. Atualmente, a tecnologia e a qualidade dos aparelhos são excelentes. Portanto, não há razões para que quem não consegue ouvir se isole”, esclarece a fono.

A Direito de Ouvir em Goiânia

A ideia da Direito de Ouvir de Goiânia é atender a população local e também de cidades vizinhas. A franquia trabalha com a melhor e mais moderna tecnologia do mercado, sempre oferecendo ao paciente o aparelho que se adeque ao caso dele. “É um erro achar que o aparelho mais caro é o melhor. Tudo depende da necessidade do paciente: há casos em que os aparelhos com tecnologia mais simples solucionam o problema; em outros, é necessário optar por um equipamento de sofisticação tecnológica mediana, chegando-se aos que realmente precisam de tecnologia avançada. Na Direito de Ouvir, são realizados testes que garantem a melhor adaptação do paciente, de maneira que ele se sinta confortável e ganhe qualidade em sua audição”, finaliza a fonoaudióloga.

A Direito de Ouvir de Goiânia trabalha com parcelamento dos aparelhos, de maneira a, realmente, tornar acessível o custo ao paciente.

 

Encontre a clínica:

Direito de Ouvir de Goiânia

Endereço: Avenida República do Líbano, 1096 – Setor Aeroporto

Telefone: (62) 3924-0304

Email: goiania@direitodeouvir.com.br