Categoria: Audição, Imprensa, Perda Auditiva, Prevenção da Perda Auditiva.

dia-combate-surdez2

No dia 10 de novembro, o Brasil comemora o Dia de Prevenção e Combate à Surdez. Nesta data acontece a Campanha Nacional de Saúde Auditiva, que  tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância do cuidado com a saúde auditiva.

Curiosamente, a maioria das pessoas cuida do coração, dos olhos, da parte ginecológica, do físico como um todo, mas se esquece da audição. Já parou para pensar a quanto ruído você está exposto todos os dias? Nas grandes cidades, a poluição sonora faz parte da rotina: o barulho das ambulâncias, dos ônibus, o tráfego pesado no metrô. Por mais que o cérebro se acostume com todo o barulho, as estruturas do ouvido não ficam imunes.

A exposição prolongada ao excesso de ruído pode provocar sérios danos nas células do ouvido. O resultado pode ser a perda auditiva, comumente chamada de surdez.

Causas da Surdez

Esta é apenas uma das causas da surdez. Ela também pode estar relacionada a questões genéticas, pelo envelhecimento ou até mesmo por bloqueios físicos.

De uma maneira geral, há duas categorias de perda auditiva: condutiva e neurossensorial. A perda auditiva condutiva pode acontecer quando há um bloqueio na transmissão do som. Isso pode acontecer, por exemplo, quando a cera entope o conduto auditivo e impede o tímpano de vibrar. Ela também acontece quando há uma interrupção na transmissão das ondas sonoras para o cérebro, como quando há ferimentos no tímpano. Na perda neurossensorial há falha do nervo auditivo. Portanto, mesmo que as vibrações sonoras atinjam o ouvido interno, elas não são enviadas como impulsos para o cérebro. Isso acontece por conta do envelhecimento natural das células, por infecções virais, barulhos muito altos, efeitos colaterais de medicamentos.

Como proteger sua audição

Cuidados simples podem prevenir perdas irreversíveis na nossa audição, como evitar a exposição a sons altos por mais de 8h diárias. Ruídos acima de 85 dB já são considerados uma ameaça à saúde auditiva.

Além disso, ainda existem algumas , como: exigir que o “teste da orelhinha” seja aplicado em seu bebê recém-nascido.

O ideal é que todos façam uma avaliação audiológica por ano, para determinar se existe perda auditiva em um ou ambos os ouvidos em frequências essenciais para o desenvolvimento normal da linguagem e da fala.

Outro cuidado que podemos ter é manter hábitos saudáveis como: fazer atividades físicas regularmente e ter uma alimentação saudável. Frutas ricas em potássio, mineral responsável por suportar a transmissão de impulsos nervosos e que pode influenciar na transmissão do som, são um exemplo do que não pode faltar no cardápio.

Uso de aparelhos auditivos

Com o diagnóstico de perda auditiva, o uso de aparelhos auditivos pode ser indicado. As próteses têm uma papel importante no resgate da qualidade de vida das pessoas. Afastam doenças, reduzem o isolamento social e oferecem benefícios que estão muito além da reabilitação auditiva. Por isso, recomenda-se que as pessoas com perda auditiva não adiem a adaptação dos aparelhos.