Categoria: Perda Auditiva.

Aparelho Auditivo Aparelhos Auditivos Atenu00e7u00e3o u00e0s crianu00e7as com perda auditiva

 

Se você descobriu que a criança possui perda auditiva, pode estar preocupado com as novas regras e responsabilidades necessárias.

Primeiros passos:

  • Logo depois do diagnóstico – normalmente feito por meio de uma audiometria infantil  – mas antes da adaptação pode ser um período difícil;
  • Muitos pais ficam chocados e inconsoláveis, incapazes de ajudar seus filhos enquanto eles esperam por resultados de alguns testes. Neste período há várias coisas que podem ser feitas para ter um efeito positivo na audição da criança enquanto o ajuda a mantê-lo em controle;
  • Continue a falar com a criança. Não importa qual a idade da criança ou o grau da perda auditiva, continue a falar, cantar canções apropriadas a idade, brincar com as mãos como faria com qualquer outra criança. Traga o rosto para perto da criança enquanto fala e use muita expressão facial. Isto muito é valioso e reforça a importância do contato facial;
  • Mantenha um diário. Escrever sentimentos e emoções durante este período, assim como recordar observações do desenvolvimento da criança têm dois propósitos: é uma ótima válvula de escape para estes dias estressantes e serve como fonte de pesquisa para verificar o progresso que a criança vem fazendo.

Depois da Adaptação:

  • Crianças com perda auditiva necessitam de assistência e paciência adicionais;
  • Desde o início a aceitação do aparelho auditivo depende daqueles que estão em volta da criança. Os elogios e o encorajamento dos familiares, docentes e pais quando a criança usa consistentemente o aparelho auditivo é essencial para sua autoestima.

Práticas que encorajam o uso do aparelho auditivo:

  • Mantenha um calendário do aparelho auditivo. Anote quantas horas por dia a criança usa o aparelho auditivo assim como qualquer informação interessante sobre ele, a aceitação ou resistência da criança, e qualquer nova resposta que a criança tenha aos sons ouvidos com o aparelho. O calendário pode funcionar como um motivador e com a idade apropriada recompensas, como selos autoadesivos;
  • Ajude a criança a aprender seu próprio nome. É muito importante que a criança saiba reconhecer seu próprio nome. Isto permite iniciar prontamente um diálogo com ela. Lembre-se de fazer contato visual quando chamá-la. Se começar a chamá-la apenas para ver a resposta, isto pode cansá-la e fazer com que pare de responder;
  • Observe os sons de cada dia com a criança. Quando acontecerem sons perto de você, aponte para a fonte do ruído, ponha as mãos nas orelhas e exclame “Eu ouvi isso!” Isto chama a atenção da criança para os sons. Mais tarde poderá estender o exercício trazendo a criança para a fonte do som e identificá-la (por exemplo, “ouça o cachorro latindo!”);
  • Elogie a criança quando ela fizer um bom trabalho de audição;
  • Mantenha um diário. Ouça os sons que a criança faz quando usa o aparelho;
  • Alterações no modo que ela pronuncia as palavras (por exemplo, ela usa mais vogais ou consoantes quando produz ruídos?) são indicadores excelentes de como os aparelhos auditivos estão funcionando para ela.

Dicas para o dia-a-dia:

Assim que a criança cresce e amadurece, o trabalho de suporte e encorajamento que lhe foi fornecido o ajudará a florescer. Abaixo estão algumas sugestões para deixá-lo atento:

  • Deixe a criança falar por ela mesma e lhe faça um elogio quando ela conseguir ouvir corretamente;
  • Encoraje a criança a manter relações com outras pessoas;
  • Encoraje a criança a ser independente com respeito a audição;
  • Trate a criança da mesma maneira com que trata outros: não tenha medo de ter altas expectativas;
  • Dê a criança um nível de responsabilidade apropriado a sua idade e demonstre a confiança que tem nas suas habilidades;
  • Converse sobre perda auditiva com a criança, mas não ache que a personalidade dela é baseada em sua perda auditiva;
  • Evite rótulo para descrever a criança. Ela possui perda auditiva, mas deve ser conhecida primeiro e sempre por suas características e qualidades.

Pessoas que convivem com a criança:

Uma criança pode ter dificuldades no desenvolvimento acadêmico, da fala, da linguagem, social e emocional por causa de recepção auditiva reduzida durante o período crítico de aprendizado. Um time diversificado formado por profissionais, amigos e família podem ajudá-la a receber toda assistência e coragem de que necessita.

  • Veja se existem funcionários da escola treinados para lidar com crianças com perda auditiva;
  • Profissionais de educação especializados em audição, psicólogos ou assistentes sociais também podem fornecer assistência a crianças com perda auditiva;
  • Os professores, treinadores e pares, juntos com a família e amigos serão parte integral da rede de auxílio a criança com perda aditiva;
  • A criança poderá beneficiar-se com as experiências de outras pessoas que usam aparelhos auditivos;
  • Trocar informações neste site é um excelente começo para envolver-se com outros no suporte eficaz da criança.

Checklist para os pais:

  • Realizar que a criança tem perda auditiva pode ser surpreendente. Pesquise sobre o assunto e saiba qual a melhor ajuda para seu filho;
  • Dê um tempo a si mesmo quando precisar, ou fale com alguém sobre como se sente. Confira mais dicas de como lidar com a perda do seu filho aqui
  • Dê assistência a criança para reforçar sua confiança;
  • Sempre fale com a criança em volume normal. Muitas crianças acham o volume alto desconfortável, mesmo com perda auditiva;
  • Quando falar com a criança, tenha certeza de não estar mais longe do que dois metros de distância;
  • Mantenha o ruído de fundo no mínimo possível (pode ser muito difícil, ou até impossível, para a criança ouvir com a televisão ligada);
  • Faça contato visual com a criança antes de falar e mantenha enquanto fala;
  • Mantenha distrações (como tocar no rosto ou mexer no cabelo) ao mínimo enquanto fala;
  • Se a criança não entender algo que foi dito tente refazer a frase ao invés de simplesmente repetir;
  • Não fale ou interprete o que os outros dizem para a criança: deixe que a criança ouça e interprete sozinha;
  • Encoraje positivamente a criança. Crianças mais velhas podem sentir-se frustradas ou bravas; fique à disposição para o caso de desejarem falar a respeito. É melhor ter ciência do que negar os sentimentos e discutir maneiras de gerenciar a frustração;
  • Elogie a criança quando ela ouvir bem. Isso irá encorajar sua independência.