Categoria: Perda Auditiva.

aparelho auditivo aparelhos auditivos A idade e a diminuiu00e7u00e3o da audiu00e7u00e3o

 

Pesquisas demonstram que 70% dos idosos sofrem com algum tipo de perda auditiva. Ficar mais velho é um processo natural, que em muitos casos pode realmente ser acompanhado pela diminuição da audição. Com o envelhecimento, ocorre um desgaste natural da audição, e com isso pode surgir o que chamamos de presbiacusia, a perda auditiva relacionada a idade.

Entre os seus sintomas estão presentes a dificuldade para escutar a televisão e o rádio, e a falta de compreensão das palavras, principalmente em locais com muitas pessoas.

Faça nosso teste auditivo e descubra como está a sua audição!

Como a presbiacusia acontece?

Mas como é que a presbiacusia realmente acontece? É muito simples: o envelhecimento reduz o desenvolvimento das células e afeta estruturas importantes para a audição como o labirinto, uma estrutura do ouvido que está relacionada ao equilíbrio e à percepção espacial do corpo. Esses fatores – ainda mais se associados a outros degenerativos como o tabagismo – pode provocar a perda da audição.

Sintomas da presbiacusia

Vários idosos ao enfrentarem situações ligadas à perda auditiva – como dificuldade para ouvir conversas em grupo, falta de percepção dos sons ambientes em uma casa, dificuldade de assistir TV ou ouvir rádio –  tendem ao isolamento, sendo afetados pela depressão. O recomendável é: não se afaste, você não está sozinho, como algumas pessoas precisam de usar óculos, outras precisam de fazer o uso dos aparelhos auditivos para ouvir melhor. Em muitos casos, a perda auditiva pode chamar muito mais atenção do que o uso dos aparelhos auditivos. É preciso vencer o preconceito e procurar ajuda médica.

Tipos de presbiacusia

Especialistas em Audiologia falam em quatro tipos de presbiacusia. O mais comum é a  presbiacusia sensorial. Nela ocorre uma perda auditiva neurossensorial bilateral e simétrica, que começa na meia idade e determina queda auditiva em sons agudos. O zumbido pode ser um fator comum. Conheça os outros tipos de presbiacusia aqui.

Tratamento para a presbiacusia

Atualmente, existem tecnologias modernas que podem contribuir para a melhora da capacidade auditiva. O ideal é procurar a ajuda de um especialista que terá condições de avaliar o grau da perda e identificar as reais necessidades bem como o aparelho auditivo adequado.

Hoje existem vários tipos de aparelhos auditivos proporcionam uma melhor adaptação, conforto e ganho de audição. Os modelos mais comuns são: intracanal, intra-auricular e retroauricular. Saiba mais sobre os aparelhos comercializados pela Direito de Ouvir.

Ouvir bem nos ajuda no nosso relacionamento e interação com o mundo, o que reforça a importância de nossa audição para a saúde e qualidade de vida. Se você está com perda auditiva, busque ajuda de um otorrinolaringologista. Quanto antes o déficit for tratado, maiores são as chances de o resultado ser efetivo.

Quer agendar uma consulta com uma especialista da Direito de Ouvir? Acesse!

Como se adaptar aos aparelhos auditivos

A adaptação aos aparelhos auditivos exige dedicação e paciência. Nem sempre as pessoas com perda auditiva conseguem colocar as próteses e se acostumar a elas rapidamente. Isso é normal. Com a perda auditiva, os idosos se desacostumam aos estímulos sonoros e podem estranhar os aparelhos novos.

 

Neste processo de adaptação, algumas dicas podem ajudar. Confira:

  •  Comece a usar o aparelho gradualmente. Use-o em casa durante períodos curtos e vá aumentando conforme se sinta confortável
  •  Acostume-se aos poucos. Não tenha pressa. É normal estranhar os sons
  •  Quando estiver em casa, treine identificar os sons. O barulho do relógio, os passos dos moradores, a água na torneira, por exemplo
  •  Pratique o reconhecimento da sua voz lendo alguma coisa em voz alta
  •  No início, pratique a conversação com uma pessoa por vez
  • A medida em que for se adaptando, amplie a conversação para mais pessoas. Preste atenção nos timbres de voz diferentes
  • Se for assistir TV ou rádio, comece por ouvir programas com menos vozes, como o noticiário
  • Se sentir dor ou qualquer incômodo, procure sua fonoaudióloga